IRRESPONSABILIDADE TEM LIMITE

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

11908306_907269586028117_2143497642_nCaro leitor, suponhamos que você seja o dono de uma oficina mecânica e vivesse do que ela rende. Um dia, a entrada dela aparece toda esburacada porque o funcionário que você pediu para cuidar da estrutura descuidou-se. O que você faria com este sujeito?

Pois bem, qualquer cidadão amazonense sabe que o Estado vive basicamente do que geram de impostos as empresas instaladas na Zona Franca de Manaus. A maioria delas se concentra na área que se convencionou chamar de Distrito Industrial. Hoje, a situação das ruas daquele logradouro é lastimável. E existe toda uma novela em torno disso – um jogo de empurra entre os governos federal, estadual e municipal.

Pior: existe um convênio, com dinheiro liberado, para a recuperação de 33 ruas. O valor é de R$ 104 milhões. Verba que a Suframa (governo federal) repassou para a Secretaria de Estado da Infraestrutura. E, apesar da secretária Waldívia Alencar alegar que 40% da obra estão prontos, eu estive com colegas parlamentares no local na sexta-feira e pude perceber que ela mentiu ou está mal informada. A situação é caótica.

É até burrice do prefeito de Manaus e do governador do Amazonas não investirem na recuperação das ruas do Distrito. Comprovadamente, os buracos prejudicam a produção de algumas indústrias. E isso significa menos imposto entrando nos cofres públicos.

Investem em tanta bobagem – propaganda demasiada, por exemplo – e não recuperam as ruas da nossa galinha dos ovos de ouro.

O governo federal, depois de muito empurra-empurra, fez a sua parte, liberando os recursos. O governo estadual mal sabe utilizá-los. E a prefeitura de Manaus se omite. Faz de conta que não é com ela.

Irresponsabilidade tem limite!

Wanderley Dallas, deputado estadual em quarto mandato, oposicionista do momento. É presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta