Prefeito afastado de Rio Preto presta “depoimento” aos vereadores, tão suspeitos quanto ele

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

rio preto 1

O prefeito afastado de Rio Preto da Eva, Luiz Ricardo Chagas, prestou “depoimento” hoje na Câmara local. Tudo indica que trata-se de uma encenação armada por 10 dos 11 vereadores, que estão pressionando o prefeito em exercício, Ernani Santiago, para ceder benefícios que eles tinham na gestão do antecessor. A prova da armação está nas imagens que você vê acima e abaixo, no momento em que Ricardo saía pelos fundos da Casa, acompanhado do presidente do Poder, vereador Francisco Batista “Chico Linha” (PSC) e outros vereadores.

 O principal elo que une Ricardo, afastado por 180 dias pelo Tribunal de Justiça para que se apurem indícios de improbidade em sua gestão, aos vereadores é uma denúncia segundo a qual ele teria desviado R$ 120 mil da verba repassada pelo Fundo Nacional da Educação Básica para repassar à Câmara, por meio de um convênio absolutamente suspeito, que é investigado pela Polícia Federal.

Ainda no âmbito da educação, Ricardo é acusado de sumir com recursos do Fundo Nacional de Educação, destinados a comprar 1.800 carteiras escolares para as escolas municipais. Pesa ainda sobre ele o sumiço de verba repassada pelo Ministério da Saúde para a construção de Unidades Básicas e a falta de recolhimento à Previdência Social.

Os vereadores nunca se dispuseram a apurar as denúncias contra o prefeito e são acusados de usar tratores da prefeitura em obras particulares, laranjas no transporte escolar e de alugar caçambas e coletores e à prefeitura. A “audiência” desta sexta-feira foi montada para tentar inocentar o ex-prefeito das denúncias.

Mas vai ser difícil convencer Ministério Público, Polícia Federal, Justiça e Tribunal de Contas a voltar atrás nas investigações em curso, que podem levar Ricardo à cadeia.

O problema é que ele já disse que não vai sozinho. Daí a súcia dos vereadores.

rio preto 3

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta