Polícia apreende 3,5 toneladas de pirarucu sem licença no Furo do Paracuuba

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Durante operação conjunta, policiais militares do Comando de Policiamento Ambiental (CPAmb), por meio do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb), e da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães), na madrugada desta quarta-feira (27/05), detiveram dois homens que transportavam pescado ilegal em duas embarcações no lago do Paracuuba, próximo ao município de Iranduba (distante 27 quilômetros de Manaus). Foram apreendidas aproximadamente 3,5 toneladas de pirarucu sem documentação de origem.

Segundo o tenente PM Tiago Ribeiro, a operação foi realizada por volta das 3h desta quarta-feira, por meio do patrulhamento fluvial, com a utilização de duas lanchas. Ele explicou que este tipo de fiscalização ambiental acontece sempre, principalmente a partir de denúncias que são feitas ao linha direta.

“Nessa madrugada conseguimos abordar, no meio do rio, duas embarcações, e durante as buscas no interior delas encontramos esse pescado, sem os respectivos lacres. Quando solicitamos a documentação de origem do pescado, apresentaram duas guias de trânsito de pescado falsas, e por isso foi feita a apreensão”, disse.

Ribeiro informou também que as embarcações são oriundas dos municípios de Tefé e Codajás, e que todo pescado será doado a instituições de caridade. “Infelizmente ainda existem pessoas que acreditam na impunidade, que nunca passarão por fiscalizações, e se propõem a transportar peixe e caça ilegal. Nossas fiscalizações são pontuais e em horários alternados, para haver o elemento surpresa. E logramos êxito, foi o que aconteceu hoje. Todo o pescado apreendido será doado a entidades filantrópicas”, concluiu.

Os detidos e a carga apreendida foram encaminhados à Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) para os procedimentos legais.

O Comando e o Batalhão Ambiental orientam que pescar, transportar e comercializar peixes do ambiente natural que se encontram no período de defeso, sem a devida permissão ou autorização da autoridade competente, configura crime ambiental, sujeitando seu (s) autor (es) às penalidades prevista na lei. Quaisquer denúncias podem ser feitas aos telefones 98842-1553 ou para o número 190.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta