O “bosta” do Danilo Gentilli pensa, sim, o que ele disse sobre Roraima

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

20150820180509danilo_gentilli

Danilo Gentilli não apenas fez uma brincadeira com o Estado de Roraima. Ele realmente pensa que “é uma bosta de lugar”. O SBT tentou justificar dizendo se tratar de um quadro de humor, mas o apresentador faz parte de uma elite paulistana ensimesmada, para quem o Brasil se resume a algumas quadras em volta da avenida Paulista.

É comum gente como Gentilli fazer esse tipo de “brincadeira” em shows de humor no eixo Rio-São Paulo. Eu mesmo presenciei Leandro Hassun tirar sarro com uma pessoa na plateia de um show no Rio de Janeiro apenas porque ela era do Amapá. Pelo menos o ex-gordo não se referiu ao Estado como “uma bosta de lugar”. Apenas repetia reiteradas vezes ao longo do espetáculo que era “longe pra caralho”. De qualquer forma, era um desrespeito.

O problema de Gentilli é que ele fez isso em rede nacional e gerou reação não apenas em Roraima, mas também no Congresso Nacional e em todo país.

Cariocas e paulistas costumam pensar que o Brasil além de sua fronteiras “é uma bosta”. Há exceções, é claro, mas boa parte deles age assim. A última eleição deixou isso bem claro. A vitória de Dilma Roussef por estas bandas gerou uma onda de preconceito e raiva no eixo Sul-Sudeste.

Esta “elite” nacional já foi sustentada pelo Amazonas no início do século XX, quando a borracha representava o principal produto de exportação do país. Mas isso eles fazem questão de esquecer.

Roraima é um belo lugar. Boa Vista me lembra a Manaus de 20 anos atrás, quando ainda se podia dormir com uma janela aberta ou conversar tranquilamente na calçada. Bem melhor que o Baixo Augusta e seus drogados assustando quem passa ou as quadrilhas de rejeitados que despejam sua raiva pela exclusão nas pessoas de bem que circulam pelo Centro do Rio.

Gentilli, esse bosta, deveria respeitar mais seus compatriotas e abaixar um pouco o próprio nariz.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta