Monopólio da inspeção veicular prejudica população e enriquece uma máfia, diz Nicolau

O deputado Ricardo Nicolau denunciou nas redes sociais que um dos sócios da empresa a Visnorte, a única autorizada a realizar vistoria veicular no Amazonas, acaba de comprar um carro modelo Audi R8 V10, avaliado em R$ 1 milhão.
“Trata-se de um luxo que foi bancado pelo cidadão que possui um veículo e hoje é obrigado a pagar os preços abusivos dos péssimos serviços desse monopólio chamado Visnorte. Os milhões que essa empresa fatura, desde 2013, vêm das taxas cobradas por serviços que antes eram feitos pelo Detran-AM por R$ 20 e agora não saem por menos de R$ 120″, ataca Nicolau.

Ele prometeu acionar os Ministérios Públicos Estadual e Federal e promete que, se não houver resposta imediata, o caminho será uma Ação Popular na Justiça.

“Os planos da Visnorte vão ainda mais longe, segundo a denúncia que tenho em mãos: a empresa está tentando obter a concessão do serviço de vistoria veicular por vinte anos através de uma licitação no Detran-AM”, acrescenta Nicolau.

“O mais grave é que se essa licitação acontecer, outras empresas do ramo poderão ser impedidas de se credenciar para prestar o mesmo serviço. A Procuradoria-Geral do Estado já se manifestou indicando que o Detran-AM deve fazer o credenciamento para gerar concorrência, diminuir os preços das vistorias e dar um fim a este absurdo”, diz ainda Nicolau.

O monopólio também inclui a empresa Inspenorte, que junto à Visnorte é a única credenciada pelo Detran-AM para realizar inspeção em veículos com sistema de Gás Natural Veicular ou que transportem produtos perigosos.

Os sócios-administradores das duas empresas são irmãos. Por trás desse esquema pode estar a explicação para a proteção dada por um grupo de comunicação ao governo José Melo.

“Estamos diante do crime de monopólio, crime contra a economia popular, crime contra as ordens tributária e econômica, e crime contra as relações de consumo”, dispara o deputado.

“Para o povo do interior, os prejuízos são maiores. Quem não mora em Manaus e precisa regularizar o licenciamento de sua motocicleta, carro ou caminhão precisa se submeter a gastar com a viagem, a balsa para transportar o veículo e, muitas vezes, até com o guincho se estiver com a documentação atrasada. Tudo por causa do desserviço da Visnorte”, informa ainda o parlamentar.

O mais importante, segundo ele, é que o Detran-AM volte a fazer a vistoria de veículos ou credencie outras empresas para que consumidor não seja mais lesado e volte a ter o poder de escolher entre pagar R$ 20 ou R$ 120 pelo serviço.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta