Mobilização dos policiais desestabiliza oficiais, a ponto de um deles chamar lideranças “pra porrada”. Ouça!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

As últimas horas foram muito tensas na Polícia Militar. Várias faltas foram registradas nas Companhias espalhadas por Manaus e nas principais cidades do interior. O Governo divulgou nota informando que colocou em prática um plano B, garantindo o policiamento nas ruas, mas várias viaturas continuaram paradas nos pátios dos quarteis, por falta de quem as operasse. O ápice da tensão aconteceu no final da noite, quando o capitão PM Lurdenilson de Paula gravou um áudio chamando “pra porrada” os dirigentes das entidades que representam os praças.

A reação de Ludernilson, que tem um histórico de violência, deveu-se às críticas dirigidas a ele, depois que reclamou, em um grupo de policiais, da paralisação, condenando a atitude dos praças. Vários policiais começaram a fazer circular postagens de 2016, quando ele foi detido dentro do Sambódromo de Manaus, durante um evento musical, depois de agredir uma mulher, embriagado.

“Ele está revoltado, porque não trabalhava e foi chamado para patrulhar as ruas, em substituição aos praças”, diz Gerson Feitosa, presidente da Associação do Praças da Polícia Militar. O líder sindical foi um dos que De Paula chamou para briga.

De fato, a maioria das viaturas que circula em Manaus desde ontem está ocupada apenas por oficiais. A maioria dos praças atendeu à chamada para a paralisação e faltou ao serviço. O Comando promete punir com rigor as faltas.

OUTRO LADO

A Secretaria de Estado da Comunicação Social divulgou o seguinte release:

“Seguindo o cronograma determinado pelo governador Amazonino Mendes de concessão de benefícios aos servidores públicos, o pagamento da data-base para a Polícia Militar deve ser feito até o dia 4 de abril, data do aniversário da Instituição. O anúncio foi feito pelo vice-governador e secretário de Segurança, Bosco Saraiva, na manhã desta quinta-feira (15/3), antes de embarcar para Brasília (DF), onde terá reunião com o Ministro da Segurança, Raul Jungmann, para tratar de novos investimentos na segurança pública do estado.

Bosco Saraiva ressaltou que o governo manterá diálogo aberto com as categorias da segurança pública e destacou avanços proporcionados pela gestão, como a promoção de 3.293 policiais militares, 314 bombeiros, o pagamento do auxílio-fardamento, o aumento de 100% no valor do auxílio-alimentação e do auxílio-moradia para policiais e bombeiros.

“A data-base da polícia será dada até o dia 4 de abril. Isso já foi anunciado pelo governador do Estado, além dos outros benefícios que já foram efetivamente materializados como as promoções, auxílio-fardamento, aumento do auxílio-alimentação e do auxílio-moradia. Há também a data-base que será efetivamente paga no máximo até quatro de abril, quando é o aniversário da PM”explica Saraiva.

Plano de contingência – O secretário de Segurança Pública disse que o Comando-Geral da PM mantém um plano de contingência para garantir a segurança da população. Saraiva condenou a proliferação de boatos e a tentativa de impor medo na população de Manaus.

“Nós temos um plano de contingência capaz de deixar a população absolutamente tranquila. Não haverá descontinuidade do serviço da PM porque o Comando, de uma forma muito tranquila, trabalhou para que a gente pudesse manter a ordem e a PM trabalhando normalmente nas ruas”, pontuou.

Ocorrências – Entre as 19h de quarta-feira (14) e a manhã de quinta (16), a Polícia Militar apreendeu duas armas de fogo, recuperou um veículo roubado e prendeu uma pessoa por receptação. Duas pessoas foram presas por tentativa de assalto a ônibus. Na Alameda Cosme Ferreira, durante abordagem ao coletivo da linha 651, a PM prendeu George Figueira de Souza e aprendeu com ele um revolver calibre 38, contendo seis cápsulas deflagradas. No Santo Agostinho, na zona centro-oeste, a PM apreendeu uma arma caseira deixada para trás por uma dupla que planejava o assalto a uma rota de ônibus. Os homens fugiram.

Durante patrulhamento na rua Nova Esperança, no Jorge Teixeira, zona leste, a PM recapturou Jackson Oliveira de Oliveira, 27, vulgo Pacu, que possuía dois mandados de prisão em aberto por roubo majorado. O caso foi apresentado no 30º Distrito Integrado de Polícia.”

Ouça os áudios do capitão, chamando as lideranças para a briga, e a resposta deles:

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta