Estudantes do La Salle têm surto de diarréia e vômito e Semsa tenta identificar a causa

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a partir da notificação de um possível surto de doenças transmitidas por alimentos e/ou água no Colégio La Salle nesta sexta-feira, 25, adotou medidas de vigilância e controle para interromper o possível ciclo intoxicação no local. Até o momento foram identificados 30 casos de crianças entre 5 e 13 anos de idade com sintomas de náuseas, vômito, dor abdominal e diarreia.

Foram atendidas nas unidades hospitalares da Fundação de Medicina Tropical, Delphina Aziz, Unimed e Samel e a maioria foi liberada sem apresentar agravamento do quadro clínico. As demais permanecem em observação. Todas as unidades hospitalares da cidade – particulares e públicas – estão em alerta para casos semelhantes e sendo monitoradas para notificação à Vigilância Epidemiológica do município no surgimento de novos casos, mas até o momento não há registros novos. A Vigilância Sanitária de Manaus (Visa Manaus) recolheu material para análises físico-química e bacteriológica.

Foram coletadas amostras de água para consumo humano em 7 pontos diferentes do colégio e, ainda, 4 tipos de alimentos também foram coletados para análise. Além disso, a equipe de fiscais analisou as condições de armazenamento e demais características físicas no local que pudessem contribuir para a possível intoxicação.

A Semsa mantém o processo de investigação até a conclusão dos laudos técnicos, que devem ser divulgados em até 20 dias. Não houve interdição do local e as medidas cabíveis serão tomadas a partir do resultado dos laudos técnicos.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta