De Bruxelas, na Bélgica, Nair Blair acompanha o julgamento do qual ela é o pivô

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Nair blair

Personagem enigmática, que circula pelos corredores do poder em busca de contratos para organizações não governamentais, a empresária Nair Queiroz Blair, que recebeu do governo José Melo R$ 1 milhão para uma tal “Agência Nacional de Segurança e Defesa” e foi presa pela Polícia Federal às vésperas da eleição de 2014, em um comitê de campanha dele, com recibos e documentos que comprovariam negociações ilíticas de votos, está em Bruxelas, na Bélgica, acompanhando o julgamento que, até este momento, desenrola-se a passos de tartaruga no Tribunal Regional Eleitoral.

O contrato que ela ganhou previa a “implementação de solução tecnológica de monitoramento em tempo real móvel”. Não houve licitação. Só o pagamento a toque de caixa. Mas esse processo ainda está rolando. Ela pediu – e o juiz Alcides Carvalho Vieira Filho, da 32ª Zona Eleitoral de Manaus, concedeu –, segundo acórdão publicado dia 20/07, a “suspensão condicional do processo”.

O mesmo juiz negou pedido dela para viajar ao exterior e receber de volta R$ 36,2 mil pagos como fiança e mais R$ 7,7 mil apreendidos pela Polícia Federal.

Há poucos dias, entretanto, ela viajou em muito boa companhia para Paris,a França, e assim que seus parceiros de viagem retornaram ao país, seguiu para Bruxelas, na Bélgica, onde permanece.

O julgamento do processo gerado por sua prisão, que pode levar à cassação do mandato do governador José Melo, apenas começou.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Alcebiades Sobrinho

    Enquanto a maioria do povo sofre com o desemprego, esta mulher passeia pelo mundo com dinheiro que recebeu do Zé Merenda.

Deixe uma resposta