Hapvida tem hospital superlotado e cancela atendimento à Seduc. Veja vídeo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Uma das cooperativas de saúde mais populares do Estado, a Hapvida, ao que tudo indica, anda padecendo dos mesmos males da Unimed Manaus, com um agravante: acaba de suspender o atendimento aos funcionários da Secretaria de Estado da Educação, seu principal cliente. Professores que tinham cirurgias agendadas foram avisados de que os procedimentos foram cancelados.

Esta semana clientes do plano fizeram circular um vídeo em que se percebe a superlotação no hospital da Hapvida, localizado na rua Terezina, em Adrianópolis. O ambiente se assemelha a um hospital público, daqueles onde o atendimento é extremamente deficitário.

Na imagem, que você pode conferir abaixo, centenas de pessoas se acumulam nos corredores, atendentes tentam agilizar os procedimentos e médicos chegam a atender no meio do tumulto.

Aparentemente, a Hapvida vendeu mais planos do que poderia suportar.

Para piorar, o atendimento a professores, pedagogos e demais funcionários da Seduc foi suspenso. O plano atende o órgão há cerca de dois anos. Foi contratado ainda na administração do governador cassado, José Melo.

O tema é um dos mais nevrálgicos na audiência pública que ocorre neste momento na Assembleia Legislativa e uma das causas de uma possível paralisação dos professores da rede estadual.

A Seduc ainda não informou oficialmente nada sobre a paralisação. Professores entraram em contato com o blog para dizer que tiveram cirurgias e consultas suspensas. A Hapvida também não explica o motivo. Especula-se falta de pagamento por parte do Estado.

O blog está aberto para publicar respostas da Seduc e da Hapvida.

http://https://www.youtube.com/watch?v=Hdcl-T_4G2M

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta