Brasil, um país injusto!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Por Adão Gomes*

O Brasil não respeita seus idosos, que deram o seu suor para enriquecê-lo. Os aposentados lutam contra o antagonismo de STF, Congresso e etc.

A triste realidade do Brasil, onde temos um Congresso, que só olha para o próprio umbigo, sem medo de ser feliz. Afinal, toda dinheirama vai para financiar suas campanhas. Tô mentindo?

O Fundo Eleitoral envidado por meio da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias – propôs um aumento de R$2 bilhões para R$5,7 bilhões, no qual o presidente Jair Bolsonaro prometeu vetar, mas aprovou em R$4 bilhões. É Muita grana!

Aqui, do outro lado do Brasil, que eu tanto amo, está um jabuti que paira nas mãos do odiado STF – Supremo Tribunal Federal – para ser decidido pelos ministros o conceito da “Revisão da Aposentadoria’, a vida toda de todos os profissionais que se aposentaram nos últimos anos.

Está no 5×5 e depende do ministro Alexandre de Moraes. Estranho que o STF tenha a sua aposentadoria pela vida toda, que sai do mesmo cofre que a aposentadoria do restante dos brasileiros, e eles lutam para aumentar sempre. Olha que o STJ deu ganho de causa para os aposentados, uma justiça, antagônica e cheia de jabutis no judiciário.

Deputados, senadores, nem se fala, estão inertes, preocupados antecipadamente com suas candidaturas, e parece que não alertaram ao presidente da República que isso é um absurdo, não dar o direto a milhares de profissionais aposentados, que ajudaram o Brasil a crescer nos últimos anos, contribuindo alto, para o INSS. E, agora, o próprio INSS diz que não tem caixa. É uma vergonha!

Mas o governo tem caixa para o Fundo Eleitoral. Vejam bem… Os aposentados, no decorrer nos próximo anos, estarão morrendo gradualmente pela lei da vida e o Fundo Eleitoral continua a ser corrigido acima da inflação. O mais grave, milhares de aposentados no Brasil sustentam suas famílias, giram seus salários em seus municípios fomentando o comércio, indústria e serviços e a revisão será novamente reinvestida na economia, movimento o Brasil que tanto amamos.

E agora INSS? E agora deputados federais, senadores, deputados estaduais e vereadores? Já pararam para pensar, que os idosos votam, seus filhos votam, netos e bisnetos votam, fomentando o mercado local para colocá-los como representantes deles? Acredito que neste momento, ninguém pensa em aposentados e o que eles podem fazer pelo Brasil, podem até influenciar no voto a seu favor.

É como diz o ex-senador Arthur Virgílio Neto: “O Brasil não é um país pobre, é um país injusto”. Fica aqui a dica!

Meu pedido vai para o senador Eduardo Braga, que votei, e Plínio Valério. Caro amigo Marcelo Ramos, Átila Lins e os deputados federais do Amazonas.

*Jornalista e economista 

 

 

Qual Sua Opinião? Comente: