“As pessoas precisam ser bem atendidas no serviço público”, diz professora, homenageada com quase 50 anos de magistério

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

A pedagoga por formação e professora Lenice Torres do Nascimento, 69, foi escolhida pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) para receber uma homenagem pelos 49 anos de serviço público onte,, no Dia Internacional da Mulher. Ela inaugurou, com mérito, a galeria “Personalidades da Educação”, aonde foi afixada uma placa de honra com seu nome.

 “Eu aprendi muito com a educação, vivenciei e aconselhei. Desde criança tive vocação e brincava de ser professora, e queria ser professora de história do Brasil”, conta Nascimento. “Estou muito feliz, porque é a primeira vez que um servidor é homenageado em vida”, confessou.

A professora é natural de Manaus, tem três filhos, três netos e três bisnetos. É formada no Magistério pelo antigo Ginásio Ajuricaba, e em Pedagogia, pela Faculdade Sagrado Coração de Jesus, em Bauru (SP). Seus primeiros passos na educação foram como professora do 2º ciclo, na Educação Primária na Escola Estadual Getúlio Vargas, pelo decreto nº 1.336, 11 de março de 1969, assinado pelo então secretário de Estado de Educação e Cultura, Antônio Vinicius Raposo da Câmara.

“Um professor que não tem vocação, amor para ensinar, ele não vai ser um bom professor”, enfatiza. 

No ano de 1974, Lenice realizou o concurso da Seduc e foi aprovada como pedagoga. Trabalhou em alguns municípios do estado como: Carauari e Anori (onde foi fundadora e gestora da Escola Estadual Presidente Costa e Silva). Ocupou o cargo de gestora nas escolas estaduais Cacilda Braule Pinto, Professor Reinaldo Thompson (ambas no Coroado, zona leste de Manaus) e Maria Madalena Santana de Lima (no bairro Armando Mendes, também zona leste), e no ano de 1993 foi convidada para exercer suas atividades na sede da secretaria de educação.

“Eu reprovo quando as pessoas não são bem atendidas em setores públicos. Casa de educação tem que atender as pessoas com sorriso, buscar resolver o problema das pessoas”, fala Torres. 

Atualmente, Lenice Torres trabalha na sede da Seduc, no bairro Japiim 2, zona sul de Manaus, e exerce sua função na Gerência de Atendimento Educacional à Diversidade. “Temos que motivar os alunos ao estudo. Se o aluno não está aprendendo o professor precisa modificar o jeito de ensinar”, conclui.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta