Cuidar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Por José Alfredo Ferreira de Andrade*

O ser humano nascera com cérebro exatamente para pensar e refletir antes de adotar posições. As reflexões sempre fizeram parte da análise dos fatos, não só como um estímulo ou exercício da consciência, mas como fonte quando da adoção de medidas decisivas. Neste aspecto o uso do tempo afigura-se-nos de vital importância tanto pela faxineira, quanto pelo diretor; tanto pela mãe, quanto pela professora. Inexiste desigualdade na forma de utilizá-lo. Não o desperdice e aproveite-o para si; seu trabalho e, acima de tudo, para o futuro de sua vida.

Infelizmente, não vimos no legislativo nenhuma preocupação com a administração do tempo, muito menos com o dever inerente ao cargo de bem refletir sobre os temas em votação. Com salários astronômicos e mordomias inexistentes em nenhum outro país; deputados federais e senadores integram o lado vergonhoso e destruidor da Nação; ignorando o povo para quem viram as costas após serem eleitos. Fazem parte do péssimo exemplo que dão àqueles menos favorecidos; cujo passado nada nos ensina. O oposto vimos na sociedade produtiva onde patrões e empregados tem muito a relembrar como meta de um futuro mais objetivo, face às exigências do mercado consumidor, onde a livre concorrência impõe a necessidade do empresário estar em constante evolução marcada sempre pelo avanço da tecnologia. Por isso, investir passara a ser o meio de se preparar para presente e não só para o futuro.

Se vivemos num mundo egoista porque o ser humano caminha para a perda dos valores morais; deixando de ser humano e fazendo aumentar as desigualdades, devemos lutar pela união de todos e fazer com que cada um reconheça o significado das palavras: união e fé. E, se há hoje motivos para que certos políticos sejam execrados, um deles decorre do fato de serem acusados de somente se preocuparem em “servir-se do público e não em servir ao público”. E aqueles que demonstram o oposto do prometido são hoje a imagem da traição; o perfil da desonestidade e o símbolo do fracasso.

Destarte, é lamentável para nossa geração estar presenciando fatos que beiram a leviandade diariamente, uma vez que até hoje não vimos nenhuma outra ouvir e respeitar nossos pais, tios e avós; além dos professores e todos os seres mais velhos. A verdade sempre fora nossa marca. Crescemos e estudamos valorizando sempre todo ser humano. Enfrentamos a vida e constituímos família. Exercemos nossas profissões com dignidade, respeito e amor. É triste sentirmos o fim e mais triste já termos perdido colegas quase inseparáveis. Fizemos parte da história sadia que deixará a indelevel marca da vitória. Mas partiremos com a tristeza porque o mundo de hoje e o de amanhã jamais corresponderá àquele de nossa juventude.

Conseguiram enterrar a honestidade e os demais valores morais; trocando-os pelo poder, pela corrupção e pelos prazeres mundanos da vida. Cuida Senhor da nossa geração, dando-nos saúde, paz e a FÉ na esperança de um futuro melhor para nossos netos e bisnetos; até porque não nascemos e nem crescemos num mundo digital, mas numa sociedade composta por humanos onde os sentimentos integraram o cotidiano de nossas vidas.

*O autor é advogado, escritor e ex-conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil

Qual Sua Opinião? Comente: