Opinião em pílulas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
TROCA DE MINISTROS
As reformas administrativas ou ministeriais com troca troca de secretários e ministros, deveriam ser encaradas como absolutamente naturais. São as ditas funções de confiança do governante ou do gestor que designa, nomeia, indica e, da mesma, forma exonera ou demite.

Quem ocupa os cargos de confiança como o próprio nome diz, já sabe que são admitidos pro tempore (não são definitivos) e exonerados ad nutum (pelo arbítrio de quem os nomeou).
Não sei porque cargas d’água tanta xiadeira e tanta teoria da conspiração pelo simples fato do o presidente da república ter trocado meia dúzia de subordinados. Vôte!
Sejam civis ou militares os ministros podem e devem ser substituídos se demonstrarem pouca afinidade com a pasta, não forem capazes de desenvolver o programa desenhado pela gestão ou perderem a confiança do mandatário.
Mais uma vez a imprensa tradicional e alguns oportunistas das redes sociais gastaram tempo e neurônios dos poucos que já tem, tentando lincar as mudanças de ministros como uma tentativa do presidente de preparar um auto golpe ou mesmo um golpe de estado.
É muita criatividade e muito  alarmismo de quem, não tendo o que escrever ou falar, sai por aí produzindo teorias novas e imaginárias de corar os mais famosos autores de ficção.
-BBB
Há quem goste! Há quem aguente! E há até quem fique acordado madrugadas adentro pra assistir alguns seres humanos exóticos das mais diversas tribos sociais, sexuais, matizes políticas e de cores, gêneros e gostos duvidosos, enjaulados numa casa de leniência e saliência.
Tanta coisa ruim pra assistir na TV e no cinema e  tem gente com coragem pra perder suas preciosas horas em tempos de pandemia com um troço mais ruim ainda e com nome em inglês. Credo!
Sem assistir um só capítulo mas só de saber por terceiros dos papos e dos jogos, já se percebe o quanto de cultura inútil e de gosto insosso, inodoro, insípido e anacrônico rola na casa e penetra gratuitamente nos lares brasileiros.
Parte da minha sobrinhada, meus filhos, amigos e vizinhos, alguns descerebrados, amam e comentam e choram e riem e sofrem e compartilham coisas do tal “programa” de doidos, um gênero inventado pelos americanos pra impor comportamentos de duvidoso gosto ou ensinar manias e atitudes banais e vazias.
Eu, que durmo cedo e aproveito os bons sonos dos justos, prefiro um bom documentário, um canal History ou Discovery ou Animal Planet, etc.
Nossa TV já teve programas e viveu momentos mais gloriosos.
-TERCEIRA ONDA
O alarmismo e o pânico tomam conta da população com a narrativa de alguns mais afoitos em espalhar por aí sobre a vinda da tal terceira onda da pandemia.
Como assim cara pálida?
Ainda nem saímos da primeira!
Para os desavisados, estamos ainda na dita primeira onda da pandemia.
A OMS, em março de 2020, declarou oficialmente a doença causada pelo novo coronavírus como uma pandemia e o mundo vem experimentando picos epidemiológicos da mesma onda desde então. É apenas isso!
Apenas e quando sair uma nova declaração pela extinção por parte do mesmo organismo de saúde mundial, poderemos de fato falarmos em novas ondas.
Muita água haverá de rolar por debaixo da ponte em termos de pandemia seja em relação a novos sinais e sintomas, causas  e aumento de mortes e de casos novos, vacinas, tratamentos e variantes.
Eu particularmente aposto, que somente o avanço seguro e permanente da vacinação aliado às novas descobertas de imunizantes que cubram as variantes, serão capazes de frear novos picos. Não descarto o aumento significativo de casos novos e até de mortes caso o mundo não avance em medidas de controle e com novas vacinas.
-TRATAMENTOS NA COVID
Tem se tornado um verdadeiro cabo de guerra a luta travada entre os fundamentalistas do cientificismo e os defensores de uma alternativa terapêutica que ajude a não encher e até a esvaziar unidades de saúde e as UTI de pacientes com CoVid.
Se de um lado há renomados pesquisadores e institutos respaldadas por estudos, casuísticas e meta análises robustas que comprovam a eficácia da associação de alguns fármacos antigos e inofensivos com larga utilização em diversas enfermidades incluindo algumas síndromes virais, do outro, se apresenta a velha e batida cantilena dos negativistas que enxergam erros e produzem polêmicas em tudo que os presidente da república e seus seguidores defendem.
É um tal de: Cadê os estudos randomizados? Onde isso foi proposto e por quem? Essas drogas não tem comprovação científica contra a CoVid! Num nhenhenhém interminável e enfadonho de encher o saco! Vôte!
As evidências são robustas e tá mais do que provado por A + B que se esses tratamentos forem aplicados no tempo certo ou no início dos sintomas da CoVid ou usados até preventivamente produzem sim bons efeitos ou levam a uma doença mais branda e sem complicações.
Eu sou um entusiasmado defensor do uso da Ivermectina associada com a Azitromicina e com anticoagulantes e anti-inflamatórios num tratamento barato, seguro e em casa.
Lembrando, que não é falando que cada um acredita no que quiser, que a gente vai resolver quem está com a razão porque pra se chegar à verdade é preciso antes de tudo provar, diante da fome, se um cogumelo é venenoso ou não como fizeram nossos ancestrais.
Não se trata de nada improvável, ou seja, aquilo que não se poder provar. As evidências precisam ser enxergadas e analisadas com uma certa  dose de boa vontade.
-CORRIDA PRESIDENCIAL 2022
Alguns apressadinhos de plantão animados com as diatribes, baboseiras e queda na popularidade do Bolsonaro e a possível(bem distante) reabilitação política do Lula, já saíram por aí cantando vitória.
Outros e outras, viúvos e viúvas, derrotados e derrotadas em 2018 e a grande imprensa tradicional, já enxergam uma tênue e fugidia luz no horizonte de incertezas que cercam uma eleição presidencial, e articulam uma improvável candidatura única.
Vão comer muita poeira no caminho!
Primeiro terão que convencer os tradicionais candidatos das esquerdas os cabeças e barbas brancas a cederem espaços pros cabeças pretas, os mais jovens. Depois, certamente,  necessitarão de doutrinar a população de que a corrupção e os desvios protagonizados pelo PT e pelo centrão, objetos da lava a jato, não passaram de invencionice do ministério público e da justiça.
Pra piorar as coisas, uma candidatura robusta e com reais chances de emplacar para um segundo turno, tem que passar pelo crivo das massas dos eleitores católicos, evangélicos e o grande contingente de redes sociais que pregam e defendem os costumes tradicionais e conservadores enraizados no norte e nordeste brasileiro.
Por incrível que possa parecer a sustentação da pandemia em níveis razoáveis mas que travem a reação da economia e o crescimento industrial, ajudarão o atual presidente se houver necessidade de manutenção do auxílio emergencial principalmente nas regiões norte e nordeste. A se confirmar!
Té logo!

Qual Sua Opinião? Comente: