Morte de jornalista por Covid-19 comove Coari e companheiros em Manaus

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Morreu hoje, aos 56 anos, no hospital de campanha do Governo do Estado, o Nilton Lins, o jornalista Eledilson Colares, de 56 anos. Ele estava internado desde domingo na unidade, depois de ser transferido de Coari, onde morava, para Manaus em uma UTI Aérea. Ele não resistiu ao tratamento. O óbito foi lamentado por colegas que trabalharam com ele no jornal A Crítica e na Prefeitura de Coari, inclusive pela família Pinheiro, que administra a cidade. Ele era muito querido no município, para onde se mudou há cerca de dez anos.

Colares foi diagnosticado com Covid-19 na semana passado e internado no Hospital Regional de Coari, onde o quadro evoluiu negativamente. Ele era diabético, o que complicou o tratamento. No Nilton Lins, chegou a apresentar uma melhora na terça-feira (2), mas ontem voltou a piorar e morreu hoje pela manhã.

Natural de Porto Velho (RO), Colares veio para Manaus ainda bem novo, cursou jornalismo na Universidade Federal do Amazonas e morou na Casa do Estudante Universitário, no Centro. Depois de formado, trabalhou vários anos no jornal A Crítica. Mudou-se para Coari, onde exerceu o cargo de diretor administrativo-financeiro na Companhia de Água, Esgoto e Saneamento Básico e analista de Comunicação Social da Prefeitura local.

Sempre alegre, era muito querido pelos colegas de faculdade e de profissão. O prefeito Adail Pinheiro Filho (Progressistas) lamentou a morte dele. “Era um irmão para nós”, afirmou.  deputada Mayara Pinheiro (Progressistas) também manifestou pesar pelo falecimento do jornalista.

Ele deixa quatro filhos: Anderson, Eduardo, Eloísa e Lissa.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta