Marcus Evangelista e Judah Torres assumem a direção do Conselho Regional de Economia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Eleitos para a nova direção do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM) para o mandato de 2022, os economistas Marcus Evangelista e Judah Torres, presidente e vice-presidente, respectivamente, iniciam a nova gestão com a ação de capacitação dos economistas no interior do Amazonas. A eleição ocorreu na última segunda-feira, dia 10, e contou com os votos dos nove conselheiros titulares do Corecon-AM, que definiram os gestores para o novo mandato. A posse dos economistas aconteceu após a eleição nesta semana.

À frente do conselho, que é responsável pelo registro e fiscalização da profissão no Estado do Amazonas, o economista Marcus Evangelista disse que pretende fazer uma gestão positiva e afirmou que alguns dos objetivos é renovar e ampliar a sede do conselho, capacitar os jovens economistas, atuar para a reinserção no mercado de trabalho dos profissionais, implantar um clube de benefícios para a classe, além de implementar ações de valorização do profissional de economia na região.

“Na nova gestão de 2022, pela quarta vez, eu estou assumindo a presidência do conselho e o nosso objetivo principal nessa gestão é gerar benefícios para a classe dos economistas. Então, temos aí muitas novidades para serem lançadas durante o ano, mas a principal delas seria um clube de benefícios, onde um registrado, bacharel e até mesmo estudante de economia vão ter uma série de descontos em vários estabelecimentos comerciais do nosso Estado”, declarou, acrescentando que a iniciativa vai incentivar o profissional a ficar mais próximo do Corecon, tornando a classe mais participativa.

“Além de incentivar, o profissional vai se aproximar do conselho e faz também com que a anuidade que ele paga praticamente seja diluída diante dos descontos que ele vai obter no consumo do seu dia a dia”, frisou.

Marcus Evangelista também defende que um profissional de economia é fundamental para que toda empresa obtenha o crescimento e supere dificuldades econômicas, principalmente, em meio à pandemia da Covid-19.

“Nós sabemos que a atividade do economista é ampla, então queremos resgatar isso, onde numa primeira ação do Corecon nós vamos promover uma palestra de orientação técnica para que eles atuem como consultores de captação de recursos, que é uma área que pode sim trazer um retorno financeiro para eles. Nessa palestra, que será dia 20, eu serei o palestrante e nós vamos capacitar os colegas que atuam no interior do Estado. Vamos também orientar o economista a fazer os seus pleitos para as empresas na plataforma da Agência de Fomento do Estado do Amazonas, a Afeam”, declarou.

Atualmente, Marcus também é presidente do Sindicato dos Economistas do Estado do Amazonas (Sindecon-AM) e consultor empresarial. Ele já foi presidente do Corecon nos anos de 2013, 2014 e 2015. Nesse período, o economista criou projetos de duplicação da sede do conselho e realizou o Congresso Brasileiro de Economia, além de 53 cursos profissionais de diversos temas.

Para o vice-presidente eleito do Corecon-AM, Judah Torres, a votação unânime dos conselheiros titulares significa que todos entenderam que o momento é de união para que a nova gestão consiga vencer os desafios que a classe vem enfrentando. Judah também enfatizou que todas as sugestões ouvidas durante a apresentação de projetos na plenária serão consideradas durante a nova gestão.

Segundo ele, o principal desafio da nova gestão é trazer o Corecon-AM para o centro do debate econômico na região e, consequentemente, contribuir para a retomada do crescimento no Estado.

“Existem conselheiros e registrados extremamente competentes que podem propor soluções para a recuperação econômica do Amazonas e que precisam ser ouvidas”, declarou. Judah disse ainda que a nova gestão pretende capacitar os jovens economistas para que eles possam se posicionar no mercado de trabalho, neste momento, e que possam buscar autonomia financeira.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta