Josué Filho prega “cautela e caldo de galinha” na apreciação do pedido de impeachment

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um dos políticos mais experientes do Estado e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Josué Filho, pai do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Josué Neto (PRTB), manifestou-se hoje pela manhã sobre a sessão de hoje da Assembleia Legislativa, em que os parlamentares decidem se será criada uma comissão para apreciar o pedido de impeachment do governador Wilson Lima (PSC) e do vice, Carlos Almeida (PTB). “Tinha que apreciar, porque foram sete pedidos apresentados e um aceito, mas cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém. Pode ser discutido ali na frente. Tudo é questão de conversa”, afirmou.

Josué Filho já foi presidente da Assembleia Legislativa. Também foi vereador em Manaus, candidato a governador e a vice-prefeito. Exerceu ainda a função de secretário de Educação do Estado. Antes de ser conselheiro do Tribunal de Contas, ele era o mais ouvido radialista do rádio amazonense, comandando o programa que levava seu nome na estação da família, a Difusora. Nos últimos tempos, participa eventualmente do Programa Waldir Corrêa, sempre com mensagens motivacionais. Hoje, pediu para “fazer um adendo”.

“Eu acho até que a Assembleia pela sabedoria de muitos mandatos de vários deputados, inclusive do presidente que tá no quarto mantado politico, haverão de encontrar uma solução para que tudo seja examinado na devida hora. Não custa nada atrasar um pouquinho o processo e deixar que a administração possa centralizar a sua preocupação no Covid-19”, disse Josué Filho, acrescentando dados sobre a pandemia.

“Os fatos ocorreram. Manaus foi dilacerada por esse vírus. Já são mais de mil pessoas mortas, mais de 10 mil contaminados, cemitérios lotados, ausência de material, falta de leitos, respiradores até tem, mas nem todos sabem manipular. Então, eu acho que cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém. O tempo é bom amigo e se mantiverem o nível de entendimento e não de agressão de lado A e B o parlamento poderá crescer perante a opinião publica”, ressaltou.

“O presidente da Assembleia tem obrigação de encaminhar ao plenário. É claro que a gente gostaria que não tivesse esse vírus, que não tivesse impeachment, mas foram 7 pedidos, 6 evitados e 1 aceito, obrigatoriedade do caminho. O plenário é soberano, ele pode hoje não aceitar e decidir, como ele pode mandar prosseguir e é formado uma comissão”, disse Josué Filho.

Sobre o impeachment do vice, ele se limitou a dizer que “não existe legislação, apenas em questões eleitorais”.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. marcos

    O que me causa estranheza é o silencio do vice governador que foi Secretario de Saúde, o mesmo poderia da um norte nessa Pandemia e ser um dos mais solicitados no momento, mas tem algo escondido e digo nesse mato tem coelho, tem sim que haver uma comissão para averiguar diversos fatos e convocar o Vice Governador para presta esclarecimentos uma vez que vem se escondendo da cruz como o diabo, E não é somente na Saúde e Educação não podemos mais deixa acumular muitas irregularidades e sim investiga e fazer valer a Lei sobre Improbabilidade Administrativa e outras Leis mais dentro do regimento brasileiro.Chega de desvio de dinheiro por A B ou C façam valer a Lei.

Deixe uma resposta