Instituto de Cirurgia ameaça parar serviços nos hospitais públicos

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O Instituto de Cirurgia do Estado do Amazonas, que presta serviço à Secretaria de Estado da Saúde em várias unidades da capital e até no interior, encaminhou ofício hoje ao secretário de Estado da Saúde, Rodrigo Tobias, cobrando passivos que datam desde 2016 e totalizam mais de R$ 14 milhões, por diversas demandas, sob pena de paralisar suas atividades já a partir de quinta-feira (16). Em nota divulgada agora há pouco, a empresa mudou de posição e anunciou a suspensão imediata das cirurgias.

A Susam ainda não se manifestou.

Veja o ofício na íntegra e abaixo uma nota oficial do Instituto:

“NOTA OFICIAL

O INSTITUTO DE CIRURGIA DO ESTADO DO AMAZONAS, que presta serviços de saúde ao Governo do estado, anuncia a SUSPENSÃO DOS SERVICOS MÉDICOS PRESTADOS NOS SEGUINTES ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE DA CAPITAL: HPS 28 de Agosto, Cirurgias Eletivas e todos os SPAs à partir das 19h desta 2ª feira 13/05/19.   

As cirurgias eletivas no Adriano Jorge serão feitas HOJE em respeito aos pacientes já preparados e internados naquela unidade. À partir de amanhã,14/05/19 não serão mais feitas.                                         

O Motivo é novamente o atraso no pagamento das obrigações financeiras  por parte do governo, sem nenhuma justificativa por parte da Susam.  Os médicos foram até onde puderam suportar; convivem com a precariedade da infraestrutura hospitalar além de falta de insumos que colaboram para o caos na saúde. Os recursos do FTI, liberados para a saúde para pagar as pendências do ano passado, não foram concluídos. A assembleia legislativa se encarregou de acompanhar a destinação correta dos recursos do FTI no entanto, a situação de desrespeito aos médicos continua.

O próprio governo do estado que está a cinco Meses fazendo auditoria na saúde , nada encontrou de errado contra os médicos// Mas é fácil ver nos hospitais públicos a superlotação continuada, falta de salas de cirurgia, entre outros.// Os médicos ainda não receberam os pagamentos devidos pelo governo referentes aos meses Outubro, Novembro e março apesar de toda a documentação solicitada pelo governo ter sido enviada muito antes dos prazos determinados pelo próprio governo. 

Os médicos também informam que à partir desta data, o pagamento pelos serviços de saúde prestados deve ocorrer até o  último dia útil do fim do mês, se não houver pgto, os médicos tomarão novas atitudes em relação aos demais estabelecimentos de saúde que contam com os serviços do ICEA.”

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta