Golpistas não passarão 

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Tenho absoluta certeza que uma mistura de ódio, melancolia e frustração, ainda povoa corações e mentes de gente da esquerda, do centro e principalmente da extrema esquerda, depois de tudo o que NÃO aconteceu no dia 07 de setembro último.

Eles torceram pelo golpe!
Eles trabalharam pelo golpe!
Eles queriam o golpe!
Essa gente, travestida de democratas, deu uma de verdadeiros zelotas do tempo de Jesus que esperavam um Messias revolucionário, libertador, conflagrador e, com espada na mão e sangue nos olhos, rompesse com a ordem vigente.
Mas o Messias atual, o Jair, encheu de decepção esses pseudo democratas que queriam e torciam pela ruptura política, jurídica e legal por meio de tropas militares nas ruas ocupando prédios e fechando instituições de outros poderes.
Partidos de esquerda, mídia tradicional, movimentos de centro esquerda e redes sociais atreladas à ideologia canhota, se uniram, atiçaram seus seguidores e alimentaram o sonho de que, dia 07 de setembro de 2021, Bolsonaro, alimentado pela maciça presença de seus apoiadores nas ruas, lançaria uma ordem, enquanto comandante supremo das forças armadas, e decretasse um golpe de estado, determinando a implantação de um governo ditatorial tal qual as hordas esquerdistas da Venezuela, da Nicarágua e da Bolívia o fizeram.
Coitados, se ferraram!
E porque eles queriam o golpe que NÃO veio?
Essa gente sempre aposta no caos. Eles são adeptos do quanto pior melhor. Eles torcem contra o país já castigado pela inflação, pelo alto preço dos combustíveis, pelo desemprego e por uma pandemia que corrói as estruturas sanitárias, emocionais, sociais, administrativas e políticas de uma nação.
Eles apostavam que o golpe traria consigo o bloqueio das estradas e com ele, o desabastecimento, a queda da produção industrial, a paralização dos serviços essenciais com a volta das greves e do caos social e econômico, para então amplificar suas idiossincrasias políticas contra um governo legitimamente eleito, como sempre souberam fazer.
Coitados, saíram frustrados!
Para essa gente, o golpe que NÃO veio, levaria o Brasil ao fundo do poço e abalaria as já complicadas relações com muitas nações estrangeiras, colocando nosso país em uma situação de fragilidade internacional e piorando em muito o cenário de recuperação econômica.
O golpe que NÃO veio, para desânimo e desespero das esquerdas, serviria de mote para carimbar um governo liberal e conservador e eleito democraticamente, de fraco, opressor e inepto.
Entretanto, houve sim um golpe! Houve um golpe, magistralmente construído pelo presidente da república, mas, um golpe nas pretensões funestas de uma gente sem escrúpulo político algum e responsável por anos de desmandos, roubalheiras, desvios éticos, morais e toda sorte de corrupção que abalaram ao longo de quase duas décadas os alicerces de uma jovem república que teima em se consolidar apesar dos pesares.
Não foi desta vez que os sonhos pelo golpe se concretizaram pois no meio do caminho tinha uma pedra.
A pedra arremessada e que quebrou a cara dos verdadeiros golpistas desse país que pensam em retornar ao poder um dia.
A pedra que se chama povo e que juntou aos milhões e formaram uma muralha moral, ética e política que pensa o país muito além dos currais partidários viciados, das gangues de ladrões de cofres públicos e das pretensões malsinadas de gente que quer retornar ao poder apenas pelo prazer de servir-se da coisa pública, do povo e da nação quais trampolins para suas ambições pessoais anacrônicas e desmedidas.
Eles, os verdadeiros golpistas, não passarão.
Té logo!

Qual Sua Opinião? Comente: