Filme que retrata os tempos áureos da música do beiradão será exibido nesta sexta-feira em Manaus

O filme “O áureo da música do beiradão nas rádios manauaras (Difusora e Rio Mar) na década de 80” será exibido, gratuitamente, no Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou, às 16h desta sexta-feira (24). Os espectadores mais antigos poderão reviver o ritmo vibrante, com letras que falam sobre os costumes e emoções. Os mais novos conhecerão a ‘febre’ que tomou conta da capital e do interior por meio das ondas das rádios.

Em 55 minutos, o filme conta a história do som do beiradão, uma batida alegre que se tornou tão popular quanto o rock na região e ainda toca em todo o interior do Amazonas. As composições apresentam como base o intenso saxofone e a vibrante guitarra, que unidos a letras alegres convidam o povo para dançar, levantando muita poeira durante as festas em comunidades, onde o salão é um espaço aberto de terra batida.

O texto relembra o surgimento, a evolução e o auge da música do beiradão a partir de fatos assim como por meio de entrevistas com ícones do ritmo como Teixeira de Manaus, Oseas da Guitarra, Magalhães da Guitarra, Chiquinho David, Chico Cajú e mestre Pinduca. Essas estrelas formaram uma constelação própria na região, que se expandiu a ponto de extrapolar as fronteiras do estado, conquistando admiradores fora do Amazonas.

Segundo o diretor do filme, o cineasta Paulo Moura, o longa-metragem nasceu do desejo de registrar, através do audiovisual, uma cultura vibrante que passou por um longo processo de maturação, atingindo o ápice a partir do momento que deixou de ser ouvida apenas nos recantos longínquos da floresta e passou a ser apreciada também pela população da capital.

“Quero atingir o maior número possível de pessoas com essa amostra, por isso ela é gratuita. Essa foi a maneira que encontramos de democratizar o acesso à cultura, dando a oportunidade de gente que mora na periferia de assistir a história da nossa cultura em telão”, completou Paulo Moura.

A produtora do projeto, Crislânia Moura, disse estar feliz com a amostra, principalmente, por saber que irá alcançar muitas pessoas. “Estou animada com o que estamos fazendo e poder passar isso para outras pessoas é melhor ainda. A história desse ritmo não pode ser esquecida, deve ser transmitida de geração pra geração”, finalizou.

O Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou está localizado na Avenida Brasil, s/nº, bairro Santo Antônio, zona Oeste da cidade de Manaus.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta