Empresários denunciam “esquema” no transporte escolar da Seduc

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Empresários que comandam duas das quatro empresas que fazem transporte escolar para a rede estadual de ensino no Amazonas – Udsom Maranhão, da Auto Viação Maranhão, e Edson Fonseca, da EM Transportes Multimodal – reclamam que não têm recebido pelo serviço com regularidade desde agosto do ano passado e denunciam situações que, segundo eles, estão prejudicando estudantes e beneficiando políticos.

Segundo eles, apenas as empresas Navegação Cidade – pertencente ao empresário Roberto Cidade. irmão do deputado estadual Orlando Cidade (PTN) – e RV Ono – do empresário Adrian Jorge, irmão do prefeito de Boa Vista do Ramos, Eraldo Trindade da Silva (DEM) vêm recebendo em dia, desde que o Governo mudou, em outubro.

“Até Agosto todas as empresas vinham recebendo seus pagamentos em dia, mediante comprovação de serviços prestados à Secretaria de Educação e Qualidade de Ensino, através de frequências escolares (assinatura diária de alunos ao entrar no transporte) e de uma declaração mensal expedida por cada coordenador de cada município atestando a realização do serviço. Contando que a verba deste serviço é federal, o Governo não poderia nunca deixar de pagar”, diz nota distribuída por eles.

As duas empresas geram cerca de 2800 empregos diretos, entre transportadores, motorista de ônibus, pilotos de lanchas, voadeiras e barcos. A EM Transporte Multimodal foi a vencedora em três licitações do Governo do Estado do Amazonas para a execução do Serviço de Transporte Escolar em 28 municípios do Estado do Amazonas. Atende as escolas estaduais na Calha do Baixo Amazonas, dos rios Negro e Juruá, além do Entorno de Manaus. A empresa honrou com o transporte escolar até o mês de novembro de 2017, mesmo sem receber, arcou com 100% dos combustíveis para sua frota e de todos seus transportadores até a finalização do ano letivo de 2017.

A EM fez cobrança extrajudicial junto à Seduc quatro vezes, sem resposta. “A empresa não possui em seu quadro vinculação política, nem tampouco vereadores, deputados e prefeitos ocultos em seus contratos sociais, mas sim, pessoas de bem, trabalhadores e honestos, que buscam através de trabalho digno subsidiar empregos na região Amazônica”, diz a nota.

No dia 12 de dezembro de 2017 a EM Transporte recebeu três cartas para a Renovação dos Contratos N. 32, 39 e 40, emitidas pela atual gestão da Sedcus e manifestou-se no dia 10 de janeiro de 2018, acenando positivamente para as renovações, através de carta aceite de renovação protocolada no órgão. Porém, no dia 15 de fevereiro foi surpreendida com a notícia de que outra empresa estaria operando as rotas.

Trata-se da RV Ono, que “herdou” as rotas da EM sem qualquer processo licitatório. Mais grave ainda: em algumas cidades, o serviço foi terceirizado para pequenas empresas. Em Manacapuru, por exemplo, operam a Aleluia Transportes e a R.B. Silva, indicadas pela Prefeitura local, em acordo com a RV.

A Seduc ainda não se manifestou sobre o assunto.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem 3 comentários

  1. Thomas A. Edson

    A empresa EM é a mesma denunciada por 11 Vereadores por inúmeras fraudes no Transporte Escolar em Manacapuru, que vão de quarteirização do serviço a falta de pagamentos de tudo e de todos, como no posto Atem do Rafael Palmeira.

    Governo do Estado terá 100 anos de perdão

    Deputado Orlando Cidade vem jogando.solto nos bastidores há tempos, ganha muito… Só não ganhará mais eleições …:

    Manacapuru acordou

  2. Paulo Araújo

    É meu amigo Thomas mas se a empresa não recebe ela não tem como pagar

  3. Anônimo

    A PF teria que fazer uma auditoria na seduc,ia ter empresário fazendo companhia Ex governador no compaj.

Deixe uma resposta