Cotado para ser vice de David em chapa puro sangue, Renato Junior deixa a Seminf e deve ser substituído por técnico; Jesus Alves, outro cogitado, não deixou o cargo

O gestor público Renato Junior, filiado ao Avante, deixou ontem o cargo de secretário de Infraestrutura de Manaus no último dia de prazo para desincompatibilização para quem quer disputar algum cargo eletivo na eleição municipal deste ano. Ele é cotado para compor chapa como candidato a vice-prefeito com o atual prefeito da capital, David Almeida, seu correligionário. Outro nome aventado nos últimos dias para o mesmo posto, o do secretário de Habitação, Jesus Alves (MDB), está definitivamente descartado. Ele não pediu exoneração.

Junior deve ser substituído por um técnico da pasta, mas o nome ainda não foi anunciado. Nome da extrema confiança de Almeida, adventista como ele e amigo pessoal do prefeito, o agora ex-secretário teve uma carreira ascendente na Prefeitura nestes últimos três anos e meio. Começou como secretário de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal, destacando-se na interlocução com camelôs e feirantes, principalmente. Assumiu a Infraestrutura, um dos cargos mais relevantes da gestão, quando o vice-prefeito Marcos Rotta (Progressistas) deixou a pasta em abril de 2022, para se colocar à disposição para a eleição estadual daquele ano.

Neste momento o ex-secretário é o nome da preferência de Almeida para compor a chapa. Nas internas, o prefeito tem dito que escolherá seu vice. A composição puro sangue, entretanto, enfrenta algumas barreiras. A primeira delas é o senador Omar Aziz (PSD). Aliado da gestão, ele não esconde a intenção de disputar o Governo do Estado em 2026 e vê na manobra a possibilidade de ter o chefe do Executivo Municipal como seu adversário. Junior seria a garantia de que a máquina da Prefeitura apoiaria uma eventual candidatura de Almeida ao Governo.

A outra barreira importante é a possibilidade do governador Wilson Lima (União Brasil) decidir na última hora apoiar a reeleição de Almeida. Neste caso, ele não abriria mão de indicar o vice, que certamente não seria Junior.

Se depender apenas do prefeito, o agora ex-secretário será seu companheiro de chapa. Por saber disso, Alves nem tentou disputar a indicação. Considerado uma figura em ascensão na Prefeitura, ele quer aproveitar o momento para se consolidar e pavimentar caminho para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa ou algum cargo maior em 2026.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta