Arthur diz que é hora de acabar com a choradeira e defender de verdade a Amazônia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

“Está na hora de acabar com a choradeira e ir para luta e, por isso, estou disputando as prévias, mesmo sabendo como elas são difíceis, porque esse é o meu papel: ser o guardião da Amazônia”, disse o candidato às prévias presidenciais do PSDB, Arthur Virgílio Neto, durante encontro realizado na noite desta quinta-feira, 7/8, com filiados e lideranças do PSDB-AM, no auditório de um hotel na zona Centro-Sul de Manaus.
Virgílio afirmou que não é possível comparar o tamanho político dos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, de onde vêm os seus dois adversários na escolha interna do partido para a indicação de quem deverá disputar à presidência da República, que será realizada em novembro deste ano. “Mas minha diferença entre eles é que eu tenho uma tese, a de que o Brasil não é nada no cenário mundial sem a Amazônia. Sem ela, ele é um país chinfrim”, destacou.

Além disso, o ex-senador e ex-prefeito de Manaus, disse ainda que defende o conceito da soberania ecológica da Amazônia. “Há anos, eu venho dizendo que, se o Amazonas não é respeitado, se o Brasil brinca com os desmatamentos e com as queimadas, nós teremos, primeiro o boicote aos nossos produtos e, segundo, a possibilidade de intervenção internacional no país”, afirmou.

O primeiro momento, conforme Arthur, já chegou, com vários países da Europa deixando de comprar produtos brasileiros originários de terras indígenas invadidas ou de terras submetidas a ataques ecológicos. “Eles estão preocupadíssimos com grilagem de terras indígenas, estão preocupados muito com o desmatamento, porque tem a ver com a vida deles, tem a ver com aquecimento global”, alertou.

O segundo momento, na opinião dele, não está distante de ocorrer, porque o Brasil não coopera para reduzir o aquecimento global. “Vai acontecer isso se o Brasil não der uma guinada de 180 graus nessa questão do desrespeito ao patrimônio ecológico que temos e estamos jogando fora. Nós temos uma fortuna aqui e é um absurdo, porque temos um povo pobre e com fome, muita fome”, denunciou.

Em defesa da Amazônia, Virgílio também destacou a importância da Zona Franca de Manaus para manter a floresta em pé. “Temos que desmistificar, acabar com o preconceito e a ignorância sobre a ZFM”, voltou a dizer, reforçando a necessidade urgente de investimentos estruturais no Polo Industrial, assim como a necessidade de aumentar o estoque de capital intelectual e da especialização da mão de obra local, além da diversificação de tecnologias e produtos.

Eleições 2022

Arthur Virgílio voltou a reafirmar sua candidatura às prévias e reconheceu que será um processo bastante difícil que está apenas começando. “Vamos ver quem tem fôlego para chegar até o final, eu estou disposto a dar tudo de mim, correndo o Brasil inteiro. É muito cedo para falar de resultados. Tem gente que já está jogando há muito tempo e tem gente que colocou a bola em jogo agora”, disse.

Ele adiantou que nos próximos dias estará nos estados da região Sul e também em São Paulo, desta vez, para falar com filiados e lideranças, da mesma forma que João Doria veio a Manaus. “As eleições prévias são diferentes, exigem generosidade, exigem que você seja amante do seu partido, que não largue o partido porque perdeu. Eu não sou de desistir, se me quiser fora, tem que me vencer. E se derrotado saio, disciplinadamente, pronto para apoiar aquele que vencer”, finalizou Virgílio.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta