Abordar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Não há como não abordarmos a conquista da Ferroviária de Araraquara, a qual se sagrara Bi-campeã da Copa Libertadores feminina de futebol, ocorrida na noite de domingo  na cidade de Buenos Ayres; onde vencera o jogo final pelo placar de 2×1 a equipe do América de Cali, da Colombia; que havia eliminado o Corínthians  na semi-final. Treinada pela técnica Linday Camila, primeira treinadora mulher a conquistar o torneio já na sua décima segunda edição; a equipe “grená” em sua quarta participação chegara à terceira decisão; conquistando agora o título de bi-campeã  da Libertadores. Com a vitória a equipe adquire o direito de disputar a próxima edição da competição prevista para o fim do ano no Chile.  Parabéns ás meninas, esperando – se que haja um melhor reconhecimento desse segmento do esporte pela CBF e pelas federações envolvidas com melhor reconhecimento a nível Nacional.

Nos esportes não há capitalismo ou comunismo; esquerda ou direita, mas deveria haver a presença da iniciativa privada como fonte de recursos; além do eventual apoio dos governos. Afinal são todos os envolvidos seres humanos com conhecimento e maturidade para separar o “joio do trigo”; afastando a política e os políticos quase sempre oportunistas.

Por isso, no atual quadro os fatos se sucedem como se fossem verdades absolutas e como inexistisse o dever de ser analisado; gerando muitas vezes uma derrota de triste recordação. Em se plantando hoje, nem tudo serão flores e no esporte também é assim. As decepções também ocorrem e talvez sejam fruto de pensamentos distantes da atual realidade onde a necessária percepção do domínio do projeto não considerara a dinâmica dos fatos e suas mutações imprevisíveis ao longo de um campeonato  ou de uma campanha eleitoral. O progresso é constante, mas todos somos dotados de inteligência no mínimo para bem planejar, executar sempre tendo um objetivo a ser alcançado. Mas a pergunta que deixamos é: Porque um modesto clube de futebol do interior de São Paulo com uma equipe feminina consegue ser bi-campeã da Copa Libertadores com apenas 4 participações? E os clubes ricos onde se encontram?

A vida é cheia de ensinamentos, mas não haverá vitória se não houver planejamento, união, foco e acima de tudo razão e não emoção. Mas a qualidade do produto, do serviço e do ser humano fará sempre a diferença. E, se a união gera a força e os bons exemplos devem ser seguidos, não devemos nos afastar nunca do foco como objetivo e meta de conquistas em todas as atividades da vida. Acreditemos sempre.

Qual Sua Opinião? Comente: