Zé Ricardo garante que sua gestão será transparente, como os mandatos que exerce

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Nas agendas de rua desta quinta-feira (8), com minicomícios, entrevistas e reuniões pela cidade, o candidato a prefeito de Manaus, deputado federal Zé Ricardo (PT), o “Homem da Kombi”, e sua vice, Marklize Siqueira (Psol), reafirmaram o compromisso de tornar a gestão municipal transparente, com prestação de contas e participativa, com a população contribuindo no planejamento das ações e sabendo onde está sendo gasto os mais de R$ 6 bilhões do orçamento público. Assim, eles defenderam o fortalecimento da Controladoria Geral do Município (CGM) e da Ouvidoria Geral do Município, como instrumentos de fiscalização, de controle e de combate à corrupção.

 Zé Ricardo afirmou que Manaus é uma cidade com mais de 2 milhões de habitantes, a sétima maior do país, mas que precisa de uma gestão inovadora, com eficácia e participação popular, reduzindo a burocracia, desperdícios e desvios de dinheiro. “Iremos fortalecer o sistema de auditoria e controladoria do Município, para fiscalizar e identificar todos os contratos feitos pela Prefeitura, como os da área da saúde. Nesta pandemia, vimos o quanto essa área está fragilizada e com muitas denúncias de contratos superfaturados e de desvios. Uma situação bastante grave, revelando que o Município não está tratando com seriedade e transparência os recursos públicos, conforme está previsto em lei. O dinheiro público não é do prefeito. Ele tem dono, é da população”.

Como propostas para uma futura administração, eles propõem ainda a fiscalização do cumprimento dos contratos com as empresas terceirizadas, especialmente, no que compete ao pagamento de seus funcionários, de modo a garantir que não haja atraso nos salários e direitos trabalhistas dos terceirizados (Prefeitura Paga, Prefeitura Cobra); a criação, reativação ou dinamização de conselhos municipais em todas as áreas; e a implantação do Orçamento Participativo, com a população decidindo os investimentos no seu bairro, na sua região, e em todo o município, por meio de comitês e reuniões.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta