Urbanismo e infraestrutura para Manaus

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Manaus tem hoje mais de 60 bairros. É no bairro que vivemos, que está a nossa casa, nossa família, o comércio que compramos os alimentos, as escolas dos nossos filhos, onde buscamos atendimento médico e convivemos em sociedade, por meio dos espaços públicos.

Por isso, os bairros precisam ser muito bem cuidados, bem ordenados, dando as melhores condições de vida e moradia à população que neles habitam. No entanto, Manaus está longe de atender esse ideal de moradia.

A maioria dos bairros de Manaus é fruto de ocupações, cresceram sem planejamento. E muitos estão abandonados pela Prefeitura. Falta saneamento básico, postos de saúde, moradias populares, acesso à água em todas as residências, pavimentação das ruas, iluminação e calçadas para os pedestres. Além da falta de arborização e de espaços culturais, esportivos e de lazer, principalmente, nas áreas de periferia, ou seja falta urbanização e infraestrutura adequada na cidade.

Graças ao urbanismo, temos formas planejadas e racionalizada das aglomerações humanas nas ocupações dos espaços sociais, favorecendo o desenvolvimento da sociedade e solucionando problemas, permitindo condições adequadas de habitação às populações da cidade.

Já a infraestrutura, oferece os  serviços básicos indispensáveis de uma cidade,  como energia elétrica, rede telefônica, transporte público, abastecimento e distribuição de água, gás, serviços básicos de saneamento, dentre outros.

Mas, a Prefeitura de Manaus parece não se importar com essas áreas tão importantes para a vida das cidades. Como vimos, o urbanismo e a infraestrutura estão diretamente ligados, pois atuam na organização das cidades, dando as condições necessárias para se viver com dignidade.

Manaus precisa também de novos bairros, pois existe um grande déficit de moradia que precisa ser sanado. De acordo com o IBGE (2018), a capital amazonense teria 128 mil famílias sem casa própria e mais da metade do total de 653,6 mil domicílios são “moradias precárias”. Portanto, é por causa da falta de política de habitação eficiente das gestões municipais que administraram Manaus é que a maioria do bairros da cidade não são planejados.

Para mudar essa realidade, defendo que a Prefeitura faça loteamentos de terras, de forma planejada e a baixo custo para aqueles que precisam de moradia. Mas sempre atentando para a necessidade da infraestrutura e urbanização nesses bairros que surgirão a partir dessa política de moradia.

Esse foi o assunto que tratamos com especialistas e a população, durante um debate virtual que realizei esta semana, para ouvir ideias e sugestões para o nosso Plano de Governo para Manaus.

Uma Manaus melhor para se viver, essa é minha defesa e minha luta!

Qual Sua Opinião? Comente: