Tributo a uma heroína

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Uma aura carregada de consternação pairou sobre as nossas cabeças na tarde da sexta feira dia 22 de janeiro.

Era o anúncio jamais aguardado da morte de uma amiga querida, colega de profissão e de gestão pública.

Li, fazendo pausa, e engoli seco diante de tão fatídica notícia que comunicava a partida definitiva da Dra Rosemery Costa Pinto-Diretora Presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Estado, vítima da CoVid.

Conheci a Rose(como eu a a maioria dos seus colegas e amigos a chamávamos) no início dos anos de 1980.

Eu estava cursando Farmácia da UFAM e nos cruzamos por algumas disciplinas dos corredores da faculdade.

Aluna aplicada, voz firme, comportamento determinado, liderança notória, essas qualidades levaram a Rose para o serviço público anos mais tarde.

Cursei especialização em Epidemiologia pela Escola Nacional de Saúde Pública da FIOCRUZ/RJ entre os anos de 1990-1992 e, alguns anos depois, a Rose completou o mesmo curso desta feita na Fundação de Medicina Tropical.

Foi quando eu, já no meu primeiro mandato à frente da Fundação Alfredo da Matta, troquei com ela muitas experiências técnicas tanto sobre sobre epidemiologia como em saúde pública pois ela atuava no Laboratório Central.

Em 2003, quando nascia a possibilidade da criação de uma fundação de vigilância em saúde pública, Rose estava à frente de uma equipe técnica delineando todos os passos necessários para que esse grande sonho dela fosse realizado e novamente cruzamos informações. E assim deu-se a criação da FVS onde ela foi, por muitos anos, diretora técnica desempenhando esse papel com muita competência.

Em 2019 ela assumiu o cargo de Diretora Presidente daquela fundação da mesma forma que eu assumi a FUAM.

Era um início de governo difícil e a a epidemia de H1N1 grassava em nosso meio.
Rose e equipe colocaram em prática um plano ousado e vitorioso de imunização já despontando como gestora comprometida e dada a desafios.

Quando em março/2019 propus aos demais dirigentes das fundações de saúde a criação de um fórum permanente de presidentes, a Rose foi uma das primeiras gestoras a topar o desafio e assim foi concretizado.

Quantas reuniões entre nós os dirigentes e com nossas equipes técnicas e administrativas realizamos e lá estava a Rose trazendo ideias, contribuições e sua vasta experiência para o colegiado.

Veio a pandemia e com ela talvez o maior desafio profissional que haveria de enfrentar na carreira.

Fragilizada pelas comorbidades, mesmo assim lá estava a Rose à frente da equipe diuturnamente sempre disposta a dar conselhos, assumir riscos, impor sua autoridade técnica e ainda ajudar quem precisasse dos seus conhecimentos na sua área de domínio.
Em cada intervenção técnica uma aula!

Em cada entrevista a segurança!

Em cada decisão administrativa a firmeza!

Assim era a Rose.

A última vez que falei com ela foi em meados de dezembro do ano passado quando trocamos uma ligação telefônica desejando um ao outro, além dos votos comuns da época, que Deus nos abençoasse com o fim da pandemia estando ela muito preocupada com as aglomerações próprias dos festejos as quais poderiam piorar o quadro epidemiológico do estado.

Chegou janeiro e ela adoeceu. Estive preocupado a todo instante sabedor que era das suas fragilidades.

E ela reagia bem!

Mas veio a piora do seu quadro de saúde, a internação e a morte. Tristeza geral!

Rose parte no pior momento de enfrentamento à pandemia.

Rose vai embora na hora mais impropria e nos deixa a todos um pouco órfãos.

Rose se foi sem ver a chegada da vacina salvadora que ela tanto acreditava e lutava para ser aplicada na população.

Seu legado será imenso e jamais esquecido por tantos quantos conviveram com ela e aprenderam dela muitos ensinamentos.

A saúde pública do nosso estado perde um dos seus mais emblemáticos ícones na luta contra a pandemia.

Seu jeito duro mas determinado, sua voz firme mas encorajadora e seus conhecimentos e domínios técnicos permanecem como ensinamentos.

Vai em paz amiga.

De onde estiveres lance um olhar de preocupação com tudo e com todos como sempre foram suas atitudes à frente da FVS.

Que Deus te acolha e te guarde.

Deixe que seus colegas servidores e gestores públicos honremos sua luta e combatamos essa pandemia com o mesmo destemor com que a enfrentaste até o dia em que tuas forças não mais resistiram.

Té logo!

Qual Sua Opinião? Comente: