Tanque com 90 mil metros cúbicos de oxigênio desembarca hoje em Manaus

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um tanque carregado com 90 mil metros cúbicos de oxigênio – equivalente a 9 mil cilindros – desembarca hoje em Manaus após percorrer 4.464 quilômetros do Porto de Santos (SP) ao porto de Belém (PA), no Navio-Patrulha Oceânico. De Belém a Manaus, o carregamento segue de balsa por mais 1.648 quilômetros por via fluvial, escoltado pelo Navio-Patrulha Fluvial Roraima.

Essa é uma das maiores cargas de oxigênio trazidas em uma única operação desde que se iniciaram as manobras para abastecer a rede hospitalar da cidade diante do aumento da demanda pelo gás medicinal. A operação é coordenada pelo Ministério da Saúde com apoio do Ministério da Defesa, por meio da Marinha do Brasil. A carga pertence à empresa White Martins.

A saga para trazer o oxigênio até Manaus começou no dia 18 de janeiro. O cilindro vazio, de 54 toneladas, foi levado da sede da White Martins, em Santo André (SP) até o Porto de Santos, no litoral paulista, onde foi embarcado no Navio-Patrulha Oceânico e transportado até o porto de Belém. Já na capital paraense, no dia 28 de janeiro, o tanque foi envasado com 90 mil metros cúbicos do produto, o equivalente a 9 mil cilindros de oxigênio. O carregamento que chega a Manaus é superior ao consumo médio diário no estado, estimado em 80 mil metros cúbicos.

Todos os órgãos que fazem parte do comitê de crise instalado no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), em Manaus, coordenado pelo Ministério da Saúde, trabalham para chegar à meta de segurança, com reserva suficiente para o equivalente a 72 horas de uso. As estratégias para o alcance desse resultado foram definidas pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Para isso, todos os modais de transporte são utilizados. Pelas BR-319 e BR-174 chegam carretas do Brasil e da Venezuela, por via marítimo-fluvial as balsas e navios e, por via área, aviões da Força Aérea Brasileira, que fazem voos diários para o abastecimento de oxigênio.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta