Susam deve fazer nova convocação de concursados em março

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O diretor de Recursos Humanos da Secretaria de Estado da Saúde,, Ézio Lacerda Lopes, informou hoje, durante audiência pública na Asssembleia Legislativa, que o Governo está empenhado na convocação de todos os aprovados no concurso público realizado em 2014. Ele afirmou que o governador Amazonino Mendes já determinou a substituição dos temporários por concursados. Depois de chamar 428 servidores no início do mês, o Estado deve convocar mais alguns em março, segundo Lopes. O quantitativo ainda não foi definido.

Ainda falta chamar mais de três mil aprovados. A vigência desse certame vai até abril de 2019, conforme portaria de prorrogação do dia 23 de março de 2017, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE). Essa pauta foi tema de Audiência Pública desta segunda-feira (26), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam)., que resultou na formação de uma comissão especial para, a partir de agora, acompanhar as convocações.

A comissão será composta pelos deputados José Ricardo Weddling (PT), Luiz Castro (Rede) e Alessandra Campelo (MDB), além de dois representantes dos concursados, um da Defensoria Pública do Estado e outro do Tribunal de Contas do Estado.

Os concursados conclamaram os demais deputados a assinar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, que já tem sete assinaturas, precisando de mais uma para ser instalada na Aleam. Eles garantiram que irão de gabinete em gabinete em busca desse apoio.

Para a bioquímica Maria Sevaneide Pinheiro, membro da Comissão dos Concursados, o clamor é para que o Governo faça uma convocação justa dos aprovados no último concurso. Ela disse que no início deste mês o secretário de Estado prometeu fazer uma convocação até o final de março. “É ano político e tememos que só haja uma convocação. Tenho certeza que dinheiro tem”, disse ela. “Sabemos que tem auxiliar de laboratório fazendo exame, por falta de bioquímico. Isso é crime. Tem hospitais sem enfermeiros, sem psicólogos. E no interior, a situação é pior ainda”, acrescentou.

“Estamos acompanhando todas as nomeações do Governo. Mas faço aqui uma advertência. Há uma decisão do TCE proibindo a renovação dos contratos existentes com essas empresas terceirizadas, bem como novas contratações”, ressaltou a representante do Tribunal de Contas do Estado na audiência, Olga Naide.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta