“Se não enviarem um milhão de vacinas de imediato ao Amazonas, não haverá controle”, diz Eduardo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Na primeira sessão deliberativa do Senado de 2021, nesta quinta-feira (04/02), o senador Eduardo Braga (MDB) pediu apoio dos colegas da Casa à indicação apresentada por ele em que solicita ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro Eduardo Pazuello, da Saúde, o imediato fornecimento de um milhão de vacinas ao Amazonas ainda este mês. “Se isso não acontecer, a nova variante pode se espalhar pelo país, o que seria trágico, como já está sendo para o nosso Estado”.

Ao presidente recém-eleito do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e aos demais colegas, Eduardo detalhou o drama vivido pela população local diante da pandemia. “Nós últimos 10 meses, o meu Estado perdeu 8.600 amazonenses. Somente em janeiro, foram praticamente três mil  que morreram por falta de oxigênio, vacina, leitos e de um socorro médico. Lamentavelmente, isso aconteceu com o conhecimento das autoridades do Estado, municipais e do Ministério da Saúde”, disse o parlamentar, que ainda destacou a alta taxa de mortalidade de Covid-19 no território amazonense, segundo dados do próprio Ministério da Saúde. “No Brasil é de 108 por cada 100 mil habitantes. No Amazonas, 207 para cada 100 mil habitantes.”

Esses dados, ressaltou o senador, deveriam motivar as autoridades da pasta a alterarem o Plano Nacional de Imunização (PNI) e, logo, priorizarem a população amazonense sob pena de a variante do coronavírus já identificada no Estado se espalhar, de fato, pela Região Norte e o restante do Brasil. “Seria necessário o fornecimento imediato de um milhão de doses de vacina”, disse Eduardo.

O Amazonas recebeu até agora 459 mil doses de vacina contra a Covid-19, que representam 229 mil pessoas imunizadas – o equivalente a, aproximadamente, 5% da população local. Com a destinação de 1 milhão de doses solicitadas pelo parlamentar, 500 mil cidadãos estariam vacinados, o que elevaria a 15% ou 20% o percentual de habitantes do Estado protegidos dos efeitos letais da enfermidade. “Não há nada mais a ser feito a não ser agirmos imediatamente com a vacinação”, disse o parlamentar, que pediu a intervenção direta de Rodrigo Pacheco junto ao Palácio do Planalto.

Na mesma ocasião, o parlamentar apresentou requerimento para recriação da comissão mista (formada por deputados e senadores), que, até o fim de dezembro de 2020, acompanhou as medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19. Além disso, Eduardo confirmou a assinatura no pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para que sejam apuradas as responsabilidades no combate ao coronavírus no país.

Sobre a recriação da comissão de acompanhamento das ações contra o coronavírus e o pedido de instalação da CPI, Eduardo esclareceu que é necessário compreender, fiscalizar e explicar ao Brasil de que forma o recurso federal disponibilizado aos estados, inclusive ao Amazonas, para o combate à Covid-19 foi aplicado. “Até agora, não houve resposta para aqueles que necessitam de socorro e atendimento. Eu, como amazonense, preciso de uma resposta para os 8.600 que faleceram”, disse.

Solidário aos apelos de Eduardo e à calamitosa situação dos amazonenses, Pacheco disse que cuidará pessoalmente da indicação que pede o fornecimento de 1 milhão de vacinas para o Estado e que considera ser conveniente a retomada dos trabalhos da comissão da Covid-19. 

Foto: Vagner Carvalho

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta