Profissão: malandragem

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

ricardo

Cadê o remédio que estava aqui? A Câmara de vereadores de Rio Preto da Eva, que deveria ter ficado do lado da população durante todo o mandato que se encerra em breve, decidiu, quase por unanimidade, abandonar a população e fazer negociatas com os prefeitos que estiveram no governo a fim de tirar vantagem do dinheiro público.

Dos 11 vereadores que encerram o mandato atual, 10 estão em plena campanha eleitoral. Os nobres vereadores em mandato são portadores do mais alto grau de rejeição no município. Não seria para menos, afinal, durante os últimos anos o que se viu por parte da maioria dos vereadores foi uma ação de benevolência entre si, onde faziam negociações internas com objetivos altamente prejudiciais para a população. Vereadores que agem de má fé para com o povo, fazendo acordos e facilitando o caminho rumo a uma crise de gestão nunca vista antes em Rio Preto, enquanto os servidores sofrem com o atraso dos seus pagamentos. Vereadores que utilizam recursos públicos para se autopromover e posar de bondosos diante da sociedade causando prejuízos aos almoxarifados da prefeitura.

Uma coisa curiosa está acontecendo na administração do Hospital. A falta de medicamentos na farmácia do Hospital de Rio Preto da Eva traz um convite a todos os munícipes para uma breve reflexão. O vice-diretor do Hospital de Rio Preto afirma diariamente aos pacientes que está faltando remédios e que o prefeito não está preocupado com essa falta. Ocorre que os medicamentos que deveriam estar guardados na farmácia do Hospital, foram (não se sabe porque) levados para uma sala secreta, sob o poder do vice-diretor e longe dos olhos dos funcionários do Hospital. Segundo informações confidenciais, aproximadamente 9.000 (nove mil) ampolas de Dipirona, além de Amoxicilina e xarope Ambroxol entre outros, deixaram de chegar a farmácia do Hospital e foram parar na sala secreta. O que é isto? Quando os pacientes procuram o Hospital e recebem o receituário indicando os tais medicamentos, o Sr vice-Diretor orienta os pacientes a procurarem o Vereador Chico Linha para pedir providencia sobre os remédios que imediatamente se prontifica de comprar e entregar o medicamento aos pacientes. De forma discreta, uma pessoa comparece junto ao vereador com a sacolinha de remédios e entrega ao paciente necessitado fazendo parecer que foi uma ajuda dada pelo vereador.

A farmacêutica responsável pela farmácia do Hospital, por não concordar com o sistema e não suportando mais a situação decidiu pedir afastamento da função. O que resta nesse momento é aguardar o Sr vice-diretor e o nobre vereador apresentarem suas explicações à população e justificarem essa atitude desleal cometida contra o povo. Afinal, não é dever do Vereador a fiscalização de atos que atentem contra a legalidade e cause prejuízos a população? O vereador citado é um sujeito covarde que se aproveita do cargo para prejudicar pessoas necessitadas e se tornar mais abastado a cada mandato. Isto mostra o desvio da conduta e um perfil imoral ,talvez, até então, desconhecido pelo povo.

O que mais nos preocupa é o fato de termos novamente a presença do vereador batendo em nossas portas pedindo novamente o voto para dar continuidade aos seus planos maléficos. Pergunto a você eleitor: Você vai votar novamente nessa corja que está aí pedindo pra voltar?

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Marcos Sabadin

    Estou “batendo” nessa tecla: Não vamos reeleger Ninguém.

    Esse ano, temos a oportunidade de mudar a base política brasileira. Vamos pensar juntos?

Deixe uma resposta