Pressionado pelos policiais, Platiny ameaça deixar a base do governo se não houver acordo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

platiny soares

Manaus vai parar na tarde de hoje para acompanhar as negociações entre o governador José Melo e os representantes das entidades que defendem os policiais civis e militares. Veja aí ao lado o vídeo em que os rebelados convocam colegas a encher o auditório da Universidade do Estado, na avenida Djalma Batista, onde ocorrerá a reunião.

Ontem, o deputado/soldado Platiny Soares (PV), que liderou a ruidosa manifestação de abril do ano passado e acabou eleito com votação maciça dos policiais, subiu à tribuna da Assembleia Legislativa para confirmar seu compromisso de lutar pela melhoria das condições de trabalho dos policiais militares e da Segurança Pública e ameaçou deixar a base do governo se não sair um acordo hoje entre o governo e os praças.

O deputado disse não buscar nenhum benefício pessoal, já que foi eleito para ser o representante desta categoria no Parlamento estadual. “O Governo do Estado precisa me ouvir, ouvir as reivindicações dos PMs”, disse Platiny, esclarecendo que os PMs entendem o momento de crise financeira que passa o Estado, e por essa razão, neste momento, reivindicam medidas que não irão gerar gastos, como a revisão do estatuto da corporação, criação uma lei que regularize as escalas de trabalho e concessão do porte de arma ao PM , por exemplo. Não é o que os representantes das entidades dizem. Eles querem, sim, as promoções prometidas no ano passado.

O parlamentar afirmou que o policial militar espera, neste momento, uma demonstração de que pode confiar no governador José Melo (PROS), de que ele demonstre interesse em conversar e buscar soluções para os impasses existentes. “É preciso que o governo nos ouça, antes que perca um parlamentar de sua base aliada”, ameaçou Platiny.

Ele foi ameaçado pelos representantes das entidades, em vídeo divulgado na semana passada, no qual eles diziam que lutaram muito para eleger Platiny e o deputado Cabo Maciel. “Se não trouxerem boas notícias para a categoria, não serão mais nossos representantes”, afirmou um deles.

Maciel permanece em silêncio.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta