Os cavaleiros do apocalipse

Por Dauro Braga*

A crítica é e sempre foi uma atividade profissional e intelectual executada por alguém bem gabaritado, com o propósito de examinar e avaliar uma produção artística, literária ou científica, bem como costumes e comportamentos, sem a interferência de fatores exógenos ou contaminação de ideologia de qualquer natureza. Dentro desse contexto, podemos afirmar que é injusta e preconceituosa a análise que certas pessoas menos informadas ou não conformadas com o resultado do último pleito cometem quando fazem prognósticos negativistas sobre o futuro governo que ainda nem começou. Ao exteriorizarem suas previsões pessimistas contaminadas pelo viés político e ideológico, esses analistas, comentaristas e outros istas mais, mostram a sua verdadeira face e seus reais objetivos escusos que consistem no disseminar a discórdia e no pessimismo junto ao povo menos esclarecido e  destruir a imagem de um governo promissor que ainda não se instalou.

Senhores profissionais da imprensa, cumpram com retidão e determinação a nobre função de informar bem e corretamente a seus leitores e admiradores, não :tergiverseiem com a verdade dos fatos! Sejam como o faroleiro que mesmo nos dias de grandes tormentas arrisca a própria vida, mas não abandona seu posto de observação porque tem consciência de que da sua correta atuação profissional depende a vida de milhares de navegantes.  Como poderiam os barcos que navegam naquele mar revolto seguirem a verdadeira rota evitando colidirem com os rochedos traiçoeiros, se não fora a atuação competente e responsável do faroleiro? Da mesma forma também assim é a missão de informar que os senhores executam por dever de ofício. Num mundo em que a comunicação exerce papel preponderante na formação da opinião pública e da sua postura cívica, sua missão de informar os fatos com total fidelidade deve prevalecer sobre as suas preferências políticas ou ideológicas. As avaliações despropositais que alguns profissionais de araque, comentaristas e analistas de pena alugada, falsos profetas, cavaleiros do apocalipse travestidos de comunicadores fazem sobre os membros escolhidos para compor o novo ministério de um governo que ainda nem iniciou, em nada contribuem para a construção de um futuro mais promissor para a nação. Como emitir juízo de valor sobre a capacidade profissional de uma pessoa ou sua obra se ela nem iniciou a mesma? Essas avaliações irresponsáveis e precipitadas que estão sendo feitas com base apenas em suposições precaucionistas ou pelo exercício futurologista do imaginário doentio de algumas de vossas senhorias só causam mal estar ao povo e intranquilidade  à nação. Isso é criminoso senhores! Essas suas previsões catastróficas e avaliações tendenciosas sobre a competência dos técnicos brasileiros que irão compor o ministério do novo governo são totalmente descabidas, tanto que já caem no ridículo popular.

Senhores comunicadores, desmontado o palanque, contado os votos e proclamados os escolhidos, cabe a vossas senhorias a nobre missão de convocar toda a nação para um grande abraço fraternal e para juntos caminharmos sob a luz de um novo sol que volta a brilhar com “raios fúlgidos no céu da Pátria nesse instante”.

 

*O autor é empresário (daurofbraga@hotmail.com)

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

LEAVE A REPLY