Órgão que controla presídios no país quer técnico na SEAP

O Departamento Nacional de Administração Penitenciária tem relatórios internos que apontam situação crítica de alguns presídios no país, incluindo os de Manaus. Fontes do órgão ouvidas com exclusividade pelo blog nos últimos dias afirmam que já relataram ao Ministério Público do Estado e ao Ministério Público Federal problemas ocorridos no Amazonas e ameaçam não apoiar a administração do futuro governador Wilson Lima (PSC), se ele repetir os erros apontados nas últimas gestões, sendo o principal deles a ausência absoluta de técnicos especializados nas equipes nomeadas para as pastas que comandam as penitenciárias.

No caso específico do Amazonas, são apontados problemas na relação da Secretaria de Administração Penitenciária com fornecedores como a Umanizzare, que administra, entre outros, o Complexo Penitenciário Anísio Jobim, onde ocorreu o massacre de presos em janeiro do ano passado.

O Departamento tem estudos indicando a instalação de um presídio de segurança máxima em Iranduba, na estrada da Cidade Universitária. A obra poderia ainda redundar em investimentos nos presídios estaduais, para reforçar o sistema como um todo. Isso seria fundamental para combater o crime organizado, uma vez que o Amazonas está entre os Estados onde as ações criminosas são comandadas a partir dos presídios.

“Ocorre que, se o governador mantiver a prática das últimas administrações e entregar a Secretaria que comanda os presídios a um oficial da Polícia Militar, não teremos como ajudar nesta construção. Isso porque eles (os oficiais) se fecham em copas e não admitem a nomeação de técnicos, o que inviabiliza nosso trabalho”, diz uma das fontes, pedindo anonimato.

Segundo outra fonte do DEPEN ouvida pelo blog, eles estão tentando contato com o governador eleito e sua equipe, mas ainda não conseguiram. “Por enquanto estamos esbarrando nos assessores, que não entendem a importância da situação”, concluem.

O órgão federal está indicando aos governos estaduais técnicos com currículo adequado ao setor para assumir a administração penitenciária, em articulação que conta com apoio da Procuradoria Geral da República, Polícia Federal e Ministério da Justiça. Para o Amazonas, é especulado o nome do técnico Cristiano Tavares Torquato, atual diretor da Penitenciária Federal de Brasília, uma das que é considerada modelo no país. Ele é pós-graduado em Direitos Humanos e Segurança Pública.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
21

LEAVE A REPLY