Oito Estados e o Distrito Federal já receberam pacientes transferidos do Amazonas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Quase 100 pacientes internados em unidades da rede estadual de Saúde já foram transferidos para tratamento em hospitais dos estados do Acre, Maranhão, Pernambuco, Piauí, João Pessoa, Rio Grande do Norte, Goiás, Pará e Distrito Federal. Quase todos os vôos têm sido cedidos pela Força Aérea Brasileira.

No total, 11 pacientes de duas unidades de saúde da capital foram transferidos para São Luís (MA) na manhã deste sábado (16/01).  Os pacientes embarcaram em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que saiu da Base Aérea de Manaus. A FAB tem atuado na força-tarefa ao lado do Governo do Estado e Ministério da Saúde (MS) no enfrentamento da Covid-19.

Outros 15 pacientes em tratamento de Covid-19, na madrugada de domingo (17/01) para Brasília, que passou a integrar o time de cidades que está acolhendo os amazonenses. Eles farão o tratamento no Hospital Universitário de Brasília (HUB-UNB). Foram realizadas transferências de pessoas que estavam internadas nos Serviços de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, São Raimundo e Hospital Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio.

Outros 15 pacientes de duas unidades de saúde de Manaus foram transferidos, na tarde deste domingo (17/01), para João Pessoa (PB).  Deles, 14 estavam internados no Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo e um no Hospital 28 de Agosto. Em João Pessoa, os pacientes serão encaminhados para o Universitário Lauro Wanderley.

Ainda na sexta-feira (15/01), ocorreu a transferência de três pacientes do município de Tabatinga para hospitais de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, no Acre. Com Covid-19, os pacientes foram transferidos para o estado vizinho por meio do serviço de UTI Aérea da SES-AM.

Um dos pacientes, de 35 anos, foi hospitalizado em Rio Branco, capital do Acre. Os outros dois, um com 63 anos e outro com 65 anos, foram transferidos para um hospital do município de Cruzeiro do Sul.

Mais 14 pacientes com Covid-19, que estavam internados em quatro unidades hospitalares da capital, foram transferidos para a cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. A decolagem ocorreu às 21h16 deste domingo (17/01), do aeroporto de Ponta Pelada, zona sul de Manaus. Dos embarcados, oito estavam no Hospital e Pronto-socorro 28 de Agosto, três no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) José Lins, três no SPA zona sul e um paciente no Hospital e Pronto-socorro Platão Araújo. Uma desistência foi registrada.

No início da tarde de hoje (18/01), foram realizadas mais 15 transferências de pacientes com Covid-19 para outros estados da Federação. A ação faz parte da Força-Tarefa criada em conjunto com o Governo Federal, para melhorar o atendimento na rede estadual. Desta vez, os internados foram encaminhados para Góias (GO).

O estado de saúde dos pacientes é estável e, portanto, permite a locomoção área dos internados. Os pacientes transferidos estavam no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) São Raimundo, SPA Alvorada, SPA Zona Sul, Hospital e Pronto Socorro (HPS) Dr Aristóteles Platão Bezerra de Araújo e HPS Dr. João Lúcio Pereira Machado.

De acordo com a equipe médica do Hospital João Lúcio, todos os pacientes passaram por uma triagem para poder alçar voo até Goiás. Segundo representantes da Força Área Brasileira (FAB), o voo tem duração de 2h40min, durante a transferência os pacientes terão acompanhamento da rede hospitalar do Governo do Amazonas.

Ainda pela manhã do dia de hoje, foram transferidos de Parintins para Belém 2 pacientes, bem como 3 pacientes de Tabatinga para o estado do Acre.

O Governo do Amazonas realizou também na sexta-feira e neste sábado (16/01) a transferência de outros 32 pacientes que estavam internados em Manaus para hospitais do Maranhão e Piauí. Os pacientes foram transportados em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) ao longo do dia.

O Governo do Amazonas decidiu pela remoção de pacientes, na capital e no interior, após dificuldade de abastecimento de oxigênio apresentado pela empresa White Martins, responsável pela oferta do serviço, devido ao aumento da demanda pelo produto nos últimos 15 dias, com o crescimento no número de internações na rede estadual.

Os pacientes transferidos são selecionados atendendo a classificação de risco do protocolo de Manchester, adotado pelos médicos que atuam na Central Unificada de Regulação de Agendamento de Consultas e Exames (Cura), que estabelece as prioridades de atendimento de acordo com o quadro clínico de cada caso.

Dessa forma, o paciente que for transferido é avaliado antes de sair da unidade e reavaliado antes de embarcar na aeronave, devendo apresentar os sinais vitais (frequência cardíaca, respiratória e pressão arterial) em estabilidade.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta