Morre aos 88 anos o ex-senador e ex-controlador do Estado, Leopoldo Péres Sobrinho

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Discreto, porém extremamente focado e competente, Leopoldo Péres Sobrinho, morto na noite de ontem aos 88 anos de idade, foi senador, deputado federal, superintendente da Zona Franca de Manaus e controlador do Estado. Estava internado há duas semanas no hospital Prontocord, devido a uma pneumonia, e sofreu um ataque cardíaco.

Filho de Arnoldo Carpinteiro Peres e Maria do Carmo Campelo Peres, ele era técnico em Administração Municipal e Relações Humanas, formado pelo Instituto Brasileiro de Assistência aos Municípios, e obteve o Bacharelado em Direito pela Universidade do Rio de Janeiro com curso intensivo de Direito Constitucional e Direito Processual Penal pela Universidade do Distrito Federal, além do curso de especialização em Direito Agrário e Legislação de Registros Públicos e do curso de História Universal e Geografia Geral.

Diretor do Departamento de Estatística no governo Leopoldo Neves, filiou-se ao PSD e foi eleito deputado federal em 1962. Secretário de Governo na segunda passagem de Plínio Coelho pelo executivo estadual, migrou para a Arena após a tomada do poder pelos militares em 1964, sendo reeleito em 1966 e 1970.

Secretário de Energia e Saneamento Básico (1975-1979) no governo Enoque Reis, foi candidato a senador pelo PMDB em 1982, sendo eleito primeiro suplente de Fábio Lucena e efetivado após a renúncia do titular em decorrência das eleições de 1986. Quando Fernando Collor exerceu a Presidência, dirigiu a Zona Franca de Manaus.

Oriundo de uma família de políticos, era sobrinho de Leopoldo Peres, genro do ex-governador Álvaro Maia e irmão do saudoso senador Jefferson Peres.

Seu último cargo público foi o de controlador geral do Estado, exercido nos governos de Eduardo Braga e Omar Aziz.

O governador Amazonino Mendes (PDT) divulgou nota de pesar e declarou luto no Estado.

O velório acontecerá na Funerária Almir Neves, da rua Monsenhor Coutinho, a partir desta quarta-feira (7) – uma vez que a família aguarda a chegada de parentes próximos que estão fora de Manaus

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta