Governo e Prefeitura vão retirar nomes de pessoas vidas de prédios e ruas

O Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus encaminharam ofícios ao Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) informando que acataram a recomendação da instituição para a retirada de nomes de pessoas vivas de bens públicos estaduais e municipais. Entre os bens apontados pelo MPF na recomendação estão escolas, hospital, centros culturais, ruas e bairros.

A Prefeitura de Manaus apresentou ao MPF parecer da Procuradoria-Geral do Município (PGM), que opinou pelo acatamento da recomendação do MPF e solicitação para que o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) promova levantamento de logradouros públicos e bairros em Manaus com nomes de pessoas vivas. O Implurb deverá informar ainda que medidas estão sendo tomadas para regularizar a situação.

Na recomendação encaminhada ao Governo do Amazonas, o MPF apontou, como exemplos de uso indevido de pessoas vivas em bens públicos, o Hospital e Pronto Socorro Delphina Rinaldi Abdel Aziz, a Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira e o Centro Cultural Thiago de Mello, localizados na capital; o Centro Cultural e Esportivo Amazonino Mendes (o bumbódromo), em Parintins; a Escola Estadual Indígena Eduardo Braga, no município de Nhamundá; e escolas estaduais com nome Amazonino Mendes, identificadas em Itapiranga, Apuí, Boa Vista dos Ramos e Nhamundá.

Em relação à Prefeitura de Manaus, o MPF recomendou a alteração dos nomes dos bairros Alfredo Nascimento e Amazonino Mendes, além das ruas de nome Alfredo Nascimento, localizadas nos bairros Aleixo, Mauazinho e Alvorada, e da rua Amazonino Mendes, no bairro Santa Etelvina.

Pronto a confusão está armada para a perturbação dos carteiros de Manaus com entregas de correspondências erradas em todo o Estado do Amazonas.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta