Garantido sai em defesa de líderes indígenas chamados a depor na Polícia Federal

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O presidente do Boi Bumbá Garantido, Antonio Andrade, e sua vice, Ida Silva, divulgaram nota de soldariedade à líder do povo Guajajara, Sonia Bone Guajajara, bem como ao líder Almir Narayamoga Surui, do povo Paiter Suruí. Os dois foram enquadrados na Lei de Segurança Nacional e convocados a depor na Polícia Federal, depois de críticas ao presidente Jair Bolsonaro.

Veja a nota na íntregra:

“A Associação Folclórica Boi Bumbá Garantido (AFBBG), integrante do maior festival folclórico do Brasil, o Festival Folclórico de Parintins (AM), se solidarizar com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e com a líder do povo Guajajara: Sonia Bone Guajajara bem como ao líder Almir Narayamoga Surui, do povo Paiter Suruí.

Ambos sofrem represália e perseguição sistemática imposta por órgãos de controle e vigilância do Estado brasileiro. Assim como eles, outras lideranças estão na mira dos ditames de um governo que sofre críticas internas e externas por conta de sua política ou total ausência dela, no combate a pandemia da Covid-19 que vitimou mais de 400 mil brasileiros. Boa parte deles oriundos dos povos indígenas.

Querer impor o silêncio a essas vozes, é querer calar a verdade que salta aos olhos nas estatísticas diárias do morticínio de centenas de vidas preciosas. A cada ancião que tombou em sua aldeia, foi-se com ele as vozes do tempo e a alma da terra. O Boi Garantido se solidariza e reafirma o papel de cantar a liberdade em defesa dos povos que fazem de sua história, nossa herança cultural.

Parintins, 04 de maio de 2021

Antônio Andrade – Presidente
Ida Silva – Vice”

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta