Entenda os sinais do seu corpo que apontam a necessidade de uma mudança de hábitos

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Cansaço frequente, sensação de fadiga causada por sobrecarga no trabalho, insônia, dores no corpo, aumento de peso, ansiedade, depressão, entre outras alterações, podem ser um sinal de que é hora de promover uma mudança radical nos hábitos diários, para a melhoria da qualidade de vida. Esse processo passa por ações individuais e pessoais, mas também, pela ajuda de profissionais especializados. No Dia Mundial da Saúde, comemorado nesta quarta-feira, 7, a Associação Segeam (Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas) traz dicas de como reverter esse quadro, buscando mais disposição para enfrentar a rotina do dia-a-dia através do equilíbrio.

Não é novidade que o combo ‘prática regular de exercícios físicos, mais alimentação saudável e atividades recreativas’, pode ajudar a prevenir inúmeras doenças e, de quebra, estabelecer uma rotina com foco na longevidade. Mas, como dar início à mudança de hábitos com as orientações adequadas?

Alimentação

O nutricionista da Segeam, David Silva dos Reis, explica que uma boa alimentação, rica em frutas, verduras, legumes e carnes magras, por exemplo, pode auxiliar na produtividade diária do indivíduo. Apesar de haver uma recomendação geral, o ideal é buscar uma avaliação com um especialista, que inclua exames de sangue, por exemplo, os quais podem apontar certas deficiências ou excessos de nutrientes no organismo. A partir daí, planeja-se um cardápio que ajuste esses compostos, essenciais ao corpo humano.

“Uma boa alimentação precisa conter todos os grupos de nutrientes, como carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais. Todos eles, com seus alimentos fontes, precisam ser bem distribuídos no prato. Quanto mais você distribui em porções os alimentos, melhor será o seu metabolismo”, explicou o especialista.

De acordo com ele, em casos mais específicos, onde existe a necessidade de se direcionar melhor as substâncias, recomenda-se que sejam feitas avaliações clínicas e físicas. “Isso fará com que o nutricionista desenvolva uma conduta melhor para essa pessoa. O que precisamos reforçar hoje, em virtude do baixo consumo da população em geral, são, justamente, as frutas e verduras. Cerca de 30% da população consome esses alimentos todos os dias, percentual muito baixo, já que eles são indispensáveis. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que sejam consumidas pelo menos 5 porções de frutas e verduras/dia. As hortaliças, por exemplo, podem ser consumidas no almoço e, as frutas, no café da manhã e nos lanches”, reforçou.

Check up médico

Consultar-se com um profissional médico também pode contribuir na prevenção e na detecção precoce de doenças que atingem grande parte dos brasileiros, como hipertensão, diabetes e afins. A partir daí, com a promoção do controle dessas comorbidades, evita-se, por exemplo, problemas mais graves com o avançar da idade.

O enfermeiro emergencista da Segeam, Ivanilson Fernandes Ribeiro, explica que uma equipe multidisciplinar, com enfermeiros especialistas, além de médicos, especialmente clínico geral, pode ajudar na avaliação periódica, apontando a periocidade para realização de check-up, inclusive traçando seu histórico de possíveis doenças na família, além de incluir na anamnese, hábitos como tabagismo, por exemplo. De acordo com ele, a partir daí, será possível apontar o intervalo entre um check up e outro, levando em consideração, por exemplo, o risco hereditário.

“Esse check up pode ocorrer anualmente ou a cada dois anos, mas, há pessoas que necessitam de um acompanhamento em espaço de tempo menor, dependendo da condição clínica. Portadores de algumas doenças crônicas, como câncer e diabetes, além de pessoas com doenças cardíacas, são exemplos que devem redobrar a atenção com a saúde. Segundo a OMS, a recomendação é que todos os homens com mais de 40 anos passem a fazer exames preventivos de dois em dois anos. Se já houver alguma patologia na família, as ações preventivas devem começar mais cedo, a partir dos 35 anos. E mulheres de 30 e 40 anos, têm maior incidência de miomas e outras doenças similares. Por isso, o indicado é que façam acompanhamento”.

Exercícios físicos

Uma outra forma de prevenir certas patologias, é a prática regular de exercícios físicos. Segundo a fisioterapeuta Paula Gondin, da Segeam, atividades de baixo e médio impactos auxiliam na perda de peso e na liberação de endorfina, chamada de hormônio do bem-estar, a qual ajuda, inclusive, a combater a insônia.

“As atividades físicas tiram as pessoas do sedentarismo, levando-as a uma vida mais saudável. Ajudam, também, a acelerar o metabolismo, combatendo a obesidade, o estresse, entre outras alterações. Observamos, enquanto profissionais, que por conta da pandemia, algumas pessoas decidiram buscar hábitos de vida melhores, fazendo reeducação alimentar e buscando se exercitar. É uma mudança positiva, pois mexe com parte da população que estava acomodada, tornando-a mais produtiva”, concluiu a fisioterapeuta.

Saúde mental

Na área da saúde mental, a orientação é buscar ajuda especializada de um psicólogo, ou, em casos mais específicos, de um psiquiatra, quando houver alterações que comprometam a rotina diária. A psicóloga da Segeam, Aline Padilha, destaca que quadros de ansiedade, depressão, entre outros, merecem uma atenção redobrada.

“Considerando que estamos em um período de pandemia, além da saúde física, é necessário dar uma atenção especial também à saúde mental, levando em consideração eventuais crises de ansiedade e picos de estresse, o que, consequentemente, pode afetar também o sistema imunológico”, explicou.

Diante de tal cenário, é essencial estabelecer um planejamento, que pode privilegiar tanto a saúde física, quanto a mental.  Uma dica é não deixar de lado os momentos de lazer, pois a recreação é uma aliada que ajuda a desviar a atenção dos problemas. Manter contato com pessoas próximas, de forma segura, também pode ajudar. “O importante é saber que você não está sozinho e que, além da rede familiar e de amigos, há profissionais aptos a ajudar na superação dos problemas”, destacou.

Dicas importantes

– Procurar ajuda em caso de depressão;

– Evitar a sobrecarga (busque ajuda nos afazeres domésticos e também no ambiente profissional);

– Alimentar-se bem (evite fast foods e comidas congeladas);

– Pratique exercícios físicos regularmente, seguindo as recomendações de segurança, como distanciamento social e uso da máscara;

– Se planeje para incluir na rotina atividades de lazer;

– Evite fumar;

– Evite bebidas alcóolicas em excesso;

– Mantenha contato com pessoas próximas, especialmente durante o isolamento social;

– Faça os exames recomendados por profissionais de saúde, dentro da sua faixa-etária.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta