Em telefonema a esposa de prefeito afastado, vereador diz que havia pedido de R$ 200 mil para não cassá-lo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O vereador Moisés Santos, o “Parabólica” (PEN), foi gravado em um telefonema trocado com Juliana Lima, esposa do prefeito afastado de Caapiranga, Antonio Lima (MDB), durante o qual ele afirma que o presidente da Câmara, Francisco Andrade Braz, o “Tico Braz” (DEM – foto acima), teria dito que negociaria uma propina de R$ 200 mil com o mandatário, para evitar a cassação definitiva de seu mandato.

Antonio Lima e seu vice, Moisés Lima, o “Canarana”, estão afastados por 90 dias do comando da Prefeitura de Caapiranga, até que a Comissão Processante criada pela Câmara Municipal apresente o relatório que investiga irregularidades nas aplicação dos recursos do município.

A reunião da Câmara está marcada para amanhã, as 9h e a tendência é que os vereadores cassem o mandato de prefeito e vice. Os dois romperam ano passado e passaram a disputar o comando do município na Justiça. Decisões judiciais trocaram o prefeito pelo menos três vezes, a ponto do Ministério Público conseguir na Justiça o bloqueio dos pagamentos da Prefeitura, muitos dos quais eram feitos em dinheiro vivo.

O clima promete ser quente nesta terça-feira em Caapiranga, principalmente depois da divulgação do telefonema.

Antonio Lima confirma que foi procurado pelo presidente da Câmara com a oferta de manutenção no cargo em troca de propina. “”Eu não cedi, por isso a comissão processante foi instalada, para retirar meu mandato. Ela é política. Posso até provar que sou inocente, mas como a oposição tem maioria, vai me cassar. Não cederei a esses corruptos”, diz ele.

Ouça o telefonema:

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta