Em 2021, quase oito mil novas empresas foram registradas no Amazonas

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea) registrou, de janeiro a dezembro de 2021, a constituição de 7.896 novos empreendimentos no estado. O crescimento foi de 19,2%, em comparação a igual período de 2020, quando foram arquivados um total de 6.620 novos Cadastros Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Os dados são do Sistema de Registro Mercantil (SRM) da autarquia – vinculado ao Ministério da Economia.

Conforme o relatório do SRM, o mês de março obteve o maior número de empresas constituídas no estado do ano de 2021, e também dos últimos cinco anos. Mesmo em meio à pandemia, foram criados 854 novos CNPJs em solo amazonense. O número é 54,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, que teve 552 constituições.

Para a presidente da autarquia, Maria de Jesus Lins, apesar da alteração no cenário econômico no Brasil devido à pandemia de Covid-19, desde 2020, o Amazonas tem conseguido manter uma percepção positiva dos negócios no estado.

“Os números registrados na Jucea nos mostram que conseguimos manter o fôlego em plena crise econômica, mesmo com o crescimento no número de empresas extintas. Acreditamos que o pacote de medidas fiscais e de linhas de crédito do governo estadual para os empreendedores, aliado às inovações e investimentos tecnológicos e de mão de obra feitos pela autarquia, contribuíram para reduzir os impactos econômicos causados pelo Covid-19”, afirmou.

No ano de 2021, foram extintas 3.128 empresas, 305 a mais do que o registrado em 2020, que teve o número de 2.823 extinções. Ainda de acordo com o Sistema de Registro, dezembro de 2021 foi o mês que arquivou o maior número de extinções no estado, com um total de 311 empresas.

Natureza jurídica

Entre os tipos empresariais mais registrados no Amazonas em 2021, a modalidade Sociedade Empresária Limitada liderou a procura pelo empreendedor, com um total de 3.317 constituições. Em seguida vem o registro de Empresário Individual, com 3.184 aberturas.

Municípios

Entre os municípios do estado que tiveram maior número de constituição de novos empreendimentos, destacam-se a capital do Amazonas, com 5.813 novos registros; seguida de Manacapuru, com 162; Humaitá, com 160; Itacoatiara, com 148; e Parintins, com 122 novas empresas.

Segmentação

Nos dados consolidados pela segmentação de Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), em 2021 no Amazonas foram abertas 4.351 empresas de prestação de serviços, 3.084 de comércio e 286 na segmentação de indústria.

Tempo de abertura

A Junta Comercial segue trabalhando para reduzir cada vez mais o tempo médio para abertura de novas empresas no Amazonas. E como resultado em 2021, o tempo médio para a abertura de uma nova empresa no estado passou de 10 horas e 25 minutos para 4 horas e 44 minutos, uma redução de mais seis horas na análise de processos de registro empresarial.

Arrecadação

Outro ponto positivo demonstrado pelo SRM é quanto à arrecadação da autarquia, que foi de R$ 12.957.194,92 em 2021. Em 2020, o valor recolhido em taxas foi de R$ 10.626.217,23.

Os dados da Jucea não incluem os Microempreendedores Individuais (MEIs), que são constituídos de forma virtual, por meio do portal do Empreendedor, do Governo Federal.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta