Força Nacional e valorização dos servidores da Segurança Pública já!

0
464

Por Alessandra Campelo*

O Amazonas começa o ano no centro das atenções da mídia nacional e internacional por causa de rebeliões, fugas e mortes de presos, um caos sem precedentes na nossa história do nosso Estado. Devido à gravidade da crise, era de se esperar o sim do Governo para todo tipo de apoio, mas sabe-se lá por quais motivos o Executivo se nega a receber ajuda das tropas federais oferecidas pelo ministro da Justiça, Alexandre Moraes. 

As rebeliões que resultaram em 60 mortes e quase 200 fugitivos, segundo os números oficiais, são a ponta do icerberg da crise que afeta um governo ilegítimo, cassado por compra de votos no Tribunal Regional Eleitoral. A realidade é que o governador perdeu a autoridade.

Essa perda de autoridade se reflete em péssimos serviços públicos para a população, infelizmente. Ano passado, é bom lembrar, o governador queria fechar hospitais, maternidades, SPAs e UPAs. Chamou isso de “reordenamento” – o povo entendeu diferente e foi às ruas cobrar respeito.

Na saúde, foi provado que o problema não era a falta de dinheiro, mas sim a péssima administração. É o mesmo caso da questão dos presídios, que já receberam mais de R$ 1,1 bilhão nos últimos anos. O caos instalado e que envergonha a nossa população é único e exclusivo pela má aplicação do dinheiro do contribuinte.

Para resolver o problema, é preciso valorizar quem protege a população, que são os policiais civis, militares e bombeiros. Esses são os nossos heróis, tão importantes quanto os profissionais da saúde e da educação, e demais trabalhadores que atuam diariamente no atendimento das pessoas.

Lamentavelmente, o governador corta direitos dos servidores da Segurança Pública no Estado: a estrutura de trabalho é sucateada, faltam promoções, fardamento, tecnologia, armamento, ticket alimentação. Além aceitar a ajuda do Ministério da Justiça por meio da Força Nacional, chegou a hora de o Amazonas valorizar os seus servidores da Segurança Pública.

*A autora é policial civil e deputada estadual pelo PMDB

LEAVE A REPLY