Wilson elogia programas de inclusão digital do Governo Federal: “vão impulsionar o interior”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Durante agenda em Brasília, o governador Wilson Lima (PSC) destacou que os programas do Governo Federal para ampliar o acesso à internet na região Norte (Amazônia Conectada e Norte Conectado) serão fundamentais para estimular a economia do Amazonas, principalmente no interior. Nas reuniões que teve com o vice-presidente Hamilton Mourão e com os ministros das Comunicações, Fábio Faria, e da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, o governador ressaltou que o Parque Científico e Tecnológico (PCT) do Alto Solimões, projeto em desenvolvimento pelo Governo do Amazonas, será um dos beneficiados com a melhoria de conectividade na região.

O PCT do Alto Solimões é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) para fomentar cadeias produtivas que façam uso sustentável da biodiversidade. Biocosméticos e fitoterápicos elaborados com insumos da Amazônia são alguns produtos de alto valor agregado que podem ser desenvolvidos e comercializados no sudoeste do Amazonas.

“Viemos tratar aqui da criação de um parque tecnológico no Solimões, no Vale do Javari, aproveitando a expertise que nós temos, os doutores e mestres que temos no estado do Amazonas, em parceria com algumas instituições, para que a gente tenha as condições necessárias de fomentar essas cadeias produtivas, como a do açaí, do pirarucu e do cupuaçu, que são prioridades para o Ministério de Ciência e Tecnologia”, afirmou o governador.

“Aqui no ministério temos uma série de programas voltados para o desenvolvimento sustentável, que vamos integrar nesse esforço com o Governo do Estado e outros ministérios, assim como a possibilidade de desenvolvimento de ciência dentro da Amazônia, para o conhecimento da biodiversidade e transformação dessa biodiversidade em recursos”, pontuou o ministro Marcos Pontes.

Projeto

O PCT irá funcionar de forma descentralizada na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) de Benjamin Constant; na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) de Tabatinga; e no Instituto Federal do Amazonas (Ifam) de Tabatinga. O projeto já captou cerca de R$ 7 milhões em recursos federais para a sua implantação.

“Esse recurso veio em decorrência do esforço do Governo do Estado na captação. Em março, levamos uma missão de técnicos do Governo Federal para o Alto Solimões para mostrar a importância desse investimento. Essa é uma das iniciativas de longo prazo que temos para diversificar nossa matriz econômica”, acrescentou a secretária executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação da Sedecti, Tatiana Schor.

Norte Conectado

O Programa Norte Conectado, do Governo Federal, vai ampliar a infraestrutura de telecomunicações na região, beneficiando 13 municípios do Amazonas, em sua primeira fase, com acesso à internet por fibra óptica. A agenda incluiu reuniões com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão; com o ministro das Comunicações, Fábio Faria; e com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

Lançado no mês de setembro, o Norte Conectado prevê a instalação de cerca de 10 mil quilômetros de cabos de fibra óptica no leito dos rios Negro, Solimões, Madeira, Purus, Juruá e Rio Branco, interligando diretamente 59 municípios da região e beneficiando aproximadamente 9,2 milhões de pessoas.

Segundo Wilson Lima, o Governo Federal também já está trabalhando para integrar as ações do Norte Conectado com o Programa Amazônia Conectada, do Ministério da Defesa, para que a resolutividade da questão da internet na região seja mais abrangente e eficaz.

“Nós já temos um programa que vem sendo tocado há algum tempo, o Amazônia Conectada, que é tocado pelo Ministério da Defesa, mas agora há uma integração com o Ministério das Comunicações, que está desenvolvendo o projeto Norte Conectado em parceria com o Ministério de Ciência e Tecnologia. O Amazônia Conectada já chegou ao município de Novo Airão e daqui a 30 dias, aproximadamente, estará no município de Barcelos, e a proposta é que ele vá até São Gabriel da Cachoeira”, disse o governador.

De acordo com ele, o Ministério das Comunicações está comprometido em iniciar, no ano que vem, o estudo de viabilidade para que o Norte Conectado comece a chegar ao Amazonas. Para isso, o governador colocou a Processamento de Dados Amazonas S/A (Prodam) à disposição do Governo Federal para auxiliar no que for preciso.

“O Estado veio aqui também se colocar à disposição para que a gente possa fazer a conexão com aqueles municípios e comunidades onde o Governo Federal não vai conseguir chegar”, afirmou.

Conselho da Amazônia

Wilson Lima destacou, ainda, que o vice-presidente Mourão garantiu apoio às iniciativas de ampliação da conectividade no Norte do país, ressaltando que a comunicação é uma das prioridades do governo Bolsonaro e do Conselho Nacional da Amazônia Legal.

“Nesse processo, o Conselho Nacional da Amazônia faz essa interligação entre esses ministérios porque isso é de interesse não só do estado do Amazonas, mas da Amazônia como um todo. Esse é um processo fundamental de interligação para levar comunicação àqueles municípios que estão distantes”, frisou Wilson Lima.

Benefícios

O Programa Norte Conectado está organizado em seis fases e prevê a implantação de nove infovias na região amazônica, com investimento estimado em R$ 1 bilhão.

A infovia do Médio e Alto Solimões, prevista na fase 1 do programa, terá 1.275 quilômetros e integrará 13 municípios do Amazonas: Tefé, Alvarães, Uarini, Juruá, Fonte Boa, Jutaí, Tonantins, Santo Antônio do Içá, Amaturá, São Paulo de Olivença, Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte. Cerca de 358.918 pessoas serão beneficiadas.

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), a infovia trará impactos positivos para mais de 20 unidades de saúde e 370 escolas do seu entorno, além de reforçar as políticas de segurança nas áreas de fronteira e fortalecer as instituições de ensino e pesquisa dos municípios.

FOTO: Maurílio Rodrigues

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta