Um belo exemplo para a cultura local: Caprichoso profissionaliza marketing e vai cobrar royaltes pela utilização da marca

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Acabar com a pirataria, uso indevido de imagem, regularizar a marca e consolidar um modelo de negócio autosustentável do Boi-Bumbá Caprichoso, com licenciamento às empresas o ano inteiro e não apenas no período do Festival Folclórico de Parintins. Esse é o desafio do novo diretor de marketing da agremiação, o administrador e publicitário Bosco Rezende (foto). É ele quem vai captar recursos com a exploração dos royalties do touro negro.A ideia é trabalhar com diversos tipos de produtos. O novo diretor azulado é administrador, pós-graduado em marketing e sócio proprietário da empresa Conexão & Mídia, representante no Norte dos Departamentos Comerciais da Folha de São Paulo, Canais Fox e Maxx Mobi Sistemas.

É um avanço e tanto e um exemplo para a cultura local – agremiações folclóricas, escolas de samba, etc. A maioria vive exclusivamente dos patrocínios oficiais e não explora devidamente a marca.

“Agradeço a diretoria do Boi Caprichoso por ter me convocado para essa nova função. Eu acredito que a agremiação tem que ser sustentável. A gente está trazendo uma nova roupagem sobre os royalties. A partir desse momento, as empresas que aderirem à marca vão repassar uma porcentagem da venda dos produtos”, explica Bosco Rezende.

O trabalho, de acordo com o diretor de marketing, pretende dar suporte ao Boi Caprichoso nos outros meses do ano, fora da época do festival. “O boi sofre bastante com a pirataria. Tem sim que ir atrás dos seus direitos. Quem explora a marca vai ter que se adequar”, diz Rezende.

Para o procurador do Caprichoso, Délio Diniz, a Conexão & Mídia chega para somar com o bumbá, em um momento em que o boi precisa se sustentar e não depender somente de patrocínios de arena. “O boi não vive só o mês de junho. Pensando mais na Escolinha de Arte e na parte administrativa do boi, confiamos no Bosco Rezende para captar recursos, vendendo e explorando a marca. Com o decorrer do tempo, vamos conseguir que o boi tenha uma renda mensal fixa”, assegura.

O presidente do boi da estrela, Babá Tupinambá, afirma que a marca do Caprichoso foi registrada em diversas categorias no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) pela agência oficial dos bumbás de Parintins, por meio do empresário André Guimarães. “Com a chegada do diretor de marketing e o registro da propriedade da marca, caminhamos para o fortalecimento do nosso boi. Todo esse trabalho de marketing permite uma ampliação do raio de atuação do bumbá no âmbito comercial. Estamos confiantes nos melhores resultados com esse trabalho em cima da marca”, assegura o dirigente azulado.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta