TV Encontro das Águas, do Estado, vive surto de Covid-19, com três mortes

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Amazonas – SJPAM, ingressou, nesta terça-feira (26), com recurso junto aos Ministérios Públicos do Trabalho e do Estado  solicitando providências para mudar a jornada de trabalho dos funcionários da TV Encontro das Águas (antiga TV Cultura), que enfrenta um surto de Covid-19. Três deles já morreram em consequência da doença. Os demais reclamam que a direção da emissora não tomou qualquer medida para melhorar as condições de trabalho.

O complexo de TV e rádio, que funciona há mais de 50 anos, localiza-se hoje na avenida Major Gabriel, na Praça 14, bairro central de Manaus. É administrado pela Fundação Televisão e Rádio Cultura do Amazonas – Funtec, mantida pelo governo estadual.

Segundo relato de empregados os problemas se agravaram neste início de ano com as infecções, no exercício do trabalho, de profissionais pelo novo coronavírus.

Os funcionários estavam amedrontados e relutantes em aceitar a determinação do diretor de programação, Welder Alves, que determinou o retorno do sistema presencial por meio de escalas de segunda a domingo. Vários colaboradores emitiram suas opniões, ponderando que neste momento da pandemia é perigoso o retorno presencial das atividades na emissora, principalmente após a morte de um funcionário.

Outro fator que causou pânico foi a contaminação do cantor Zezinho Corrêa, que apresenta o programa “Na Rede Com Zezinho” na emissora. Ele gravou com um grande número de convidados no início do ano, nos estúdios da TV.

Por esses motivos, vários colaboradores se posicionaram temerosos com o retorno à emissora, que está suja e não recebeu trabalho de sanitização após esses casos.

A gota d´água para a intervenção do Sindicato foi uma troca de mensagens em aplicativos de conversas, quando o diretor-presidente, Oswaldo Lopes, ainda lutando ele próprio contra a doença, ameaçou não assinar a folha de pagamento.

Os funcionários dizem que Lopes chegou a circular pela emissora já contaminado.

Os funcionários reclamam que sequer uma sanitização foi feita no ambiente, onde trabalham mais de 100 profissionais por tuno.

Em face da gravidade da situação instalada na fundação de Tv e Rádio no Amazonas, o SJPAM solicita a imediata intermediação dos ministérios para busca de Acordo ou assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta entre empregados e a direção da Funtec.

A direção da emissora não se manifestou sobre o assunto.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta