Traficantes usavam apartamento de luxo como laboratório

A  Polícia Civil prendeu ontem William Bruno Vasconcelos da Silva, 28, e Hiran Miranda Braga Filho, 42, integrantes de uma quadrilha que mantinha um laboratório de refino e processamento de entorpecentes no condomínio de luxo Weekend, no bairro da Ponta Negra, zona oeste de Manaus. Com eles foram apreendidos 35 kg de maconha skunk, além de dois veículos e equipamentos usados para processar e embalar as drogas e enviá-las para fora do Estado.

As investigações estão em andamento sobre o envolvimento de mais pessoas nesse grupo criminoso. Trata-se de uma fábrica de embalagem e invólucros imperceptível para os cães farejadores. Todas as características indicam que essa droga seria enviada para fora do país.

Segundo o secretário executivo de Inteligência, Herbert Lopes, a Seai vinha monitorando os dois há pelo menos 50 dias. No fim da tarde de ontem, os investigadores monitoraram a saída da dupla para entregar drogas no centro da cidade. O material seria enviado para a cidade de Oriximiná, no Pará. Após entregarem o entorpecente, os homens retornaram ao condomínio Weekend no bairro Ponta Negra, onde foram flagranteados.

Equipamentos, veículos, drogas e dinheiro apreendidos. No apartamento alugado pelos dois, os investigadores encontraram um laboratório usado para o refino e a embalagem de drogas, como balanças de precisão e duas máquinas de embalagem a vácuo. Além disso, foi apreendido um Honda Civic e um Cobalt, usado pela dupla para as ações do tráfico e a quantia de R$ 1,365.

FOTO: VALDO LEÃO

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta