Terceirizado é preso por cobrar por vantagens em atendimentos na Polícia Federal

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta sexta-feira (23/07), a Operação Expurgo, cujo objeto investigado está relacionado a desvio de conduta de um Agente de Portaria terceirizado com possível prática do crime de corrupção passiva.

A ação da Polícia Federal visa a cumprir 02 (dois) mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 4a Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas, todos cumpridos na cidade de Manaus/AM.

Segundo as investigações, o Agente de Portaria terceirizado solicitava vantagens ilícitas para agilizar atendimentos de estrangeiros na Superintendência da Polícia Federal do Amazonas.

Constatou-se que, por prestar apoio ao setor de imigração, auxiliando na recepção e organização dos atendimentos, ele tinha acesso direto aos imigrantes. Dessa forma, oferecia agilizar o agendamento em troca de recebimento de vantagem financeira.

O indiciado poderá responder, na medida de suas responsabilidades, pelo crime de Corrupção Passiva. Se condenado, poderá cumprir pena de até 12 anos de reclusão.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta