Senadores do Amazonas assinam apelo à comunidade internacional por mais vacinas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Os três senadores do Amazonas – Eduardo Braga (MDB), Omar Aziz (PSD) e Plínio Valério – subscreveram a Moção de Apelo à Comunidade Internacional para pedir ajuda internacional para o combate à pandemia da Covid-19 no Brasil.
Dos 81 senadores, 65 assinaram a moção, que será encaminhada para países do G-20; ONU/OMS; OCDE; Parlamento Europeu; Congresso EUA; Embaixadores do Brasil no mundo; Embaixadores estrangeiros no Brasil; Parlamento do Reino Unido; Empresas estrangeiras produtoras da vacina contra a COVID-19; Comissão de Relações Exteriores dos principais países do mundo; Imprensa Nacional e Internacional.

Veja a íntegra do documento:

“MOÇÃO DE APELO À COMUNIDADE INTERNACIONAL

No momento em que a sombra nefasta da morte paira sobre milhões de brasileiros, e que novas formas do vírus da Covid 19 se tornam uma assustadora ameaça global, apelamos à comunidade internacional.

O Brasil se tornou o epicentro mundial da pandemia. Dados confirmados pela OMS mostram que superamos nesta semana a alarmante média móvel de 72 mil novos casos e mais de 2 mil óbitos por dia.

O país reclama atenção emergencial do mundo. Nosso ritmo de imunização é insuficiente para conter a propagação da doença. Até o momento, menos de 5% dos 210 milhões de brasileiros foram vacinados. Dependemos de vacinas e insumos farmacêuticos ativos (IFA) importados, que chegam em ritmo lento, se comparado ao desafio posto pela segunda e devastadora onda da pandemia no Brasil.

Nesta crise sanitária sem precedentes que atinge o mundo, barreiras fronteiriças não nos podem proteger da propagação do vírus e do surgimento de possíveis variantes. A única defesa é a cooperação internacional, com a vacinação urgente de nossa população.

Semelhante situação impõe ao Senado Federal a tarefa de fazer aos demais países um doloroso alerta: o avanço da pandemia no Brasil representa risco real para o mundo.

Deixar que o povo brasileiro continue a morrer sem vacinas significa uma agressão a todas as tradições humanas. É o oposto de tudo o que a civilização representa. Destrói os princípios de convivência humana. Impõe o medo e compromete a tranquilidade e segurança de todos os países.

Em todos os momentos dramáticos da história do mundo o Brasil deu sua contribuição. Agora, precisamos contar com a comunidade internacional, em especial dos países produtores de vacinas, bem como dos detentores de estoques estratégicos da mesma.

A ordem internacional pode mostrar que é capaz de enfrentar os desafios com uma visão grandiosa, baseada na paz, na solidariedade, na tolerância, e na razão que é a matriz de todo o direito. Só assim vamos seguir adiante com o fortalecimento de uma consciência de cidadania planetária, alicerçada em valores universais.”

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta