Sem lockdown, novo decreto proíbe obras e impõe apenas uma pessoa por família nos supermercados

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

“Não há lockdown no Estado”. Com esta frase o governador Wilson Lima (PSC) anunciou hoje medidas mais restritivas para combater a proliferação da Covid-19 no Amazonas, Estado com a maior taxa de transmissão do país (1,3) e com a maior ocupação de leitos – quase toda a rede saturada. A partir de agora, ficam proibidas obras, a não ser aquelas diretamente relacionadas à pandemia, e a circulação de pessoas durante o dia fica ainda mais restrita. Só uma pessoa por família vai poder ir a supermercados ou farmácias, estabelecimentos que continuarão abertos.

Segundo o governador, há muita gente propagando informações que não são verdadeiras, o que gerou uma corrida aos supermercados hoje. Estes estabelecimentos continuarão abertos de 6h às 19h, limitados à venda de gêneros alimentícios, bebibas e produtos de limpeza e higiene pessoal. As farmácias funcionarão 24 horas, assim como clínicas de uma forma geral, inclusive as veterinárias, e o atendimento a domicilio e de saúde mental

Feiras funcionarão apenas das 4 às 8h. Restaurantes e bares só no sistema de delivery de 6h às 22h. A Indústria funcionará em turnos de 12h, com exceção daquelas que têm como bens finais relacionados à Covid-19.

“O cidadão só poderá sair se houver extrema necessidade. Na farmácia e no supermercado apenas uma pessoa por família”, disse o governador.

As forças de segurança estarão nas ruas para fiscalização o cumprimento do novo decreto, que terá validade de 10 dias. “O objetivo não é punir nem prender ninguém, mas orientar e evitar os abusos. Festas clandestinas e reuniões com objetivos festivos serão combatidas com muito rigor”, acrescentou o governador.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta