Sancionada lei que implanta “ensino dirigido” nas escolas de Manaus

O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), sancionou a Lei 2.243/2017 que implanta o “Ensino Dirigido” nas escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed) sob a modalidade extraclasse. A legislação é oriunda do Projeto de Lei (PL) 065/2017 de autoria do vereador Professor Gedeão (PMDB), que foi apresentada neste ano, com base em pesquisas sobre melhorias do desempenho dos alunos nas escolas municipais.

Atualmente, a Semed conta com a modalidade do “Ensino Assistido”, no aprendizado extraclasse, uma espécie de reforço escolar, principalmente, nas 100 unidades de ensino que vão participar da Prova Brasil, que vai definir o  Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Segundo Gedeão, o “Ensino Dirigido” é um modelo de ensino que segue as diretrizes da educação oriental, a exemplo da franquia Kumon, e tem como propósito disciplinar a forma de aprendizagem do aluno por meio e um estudo autônomo.

A técnica japonesa trabalha o ensino de forma mais individual e transforma o professor em um “agilizador de conhecimento”. Para o vereador, este é um método que pode revolucionar o sistema de educação do município e criar uma sociedade com alunos que apreciem a prática do estudo.

“O material do método Kumon é auto instrutivo e não há aulas expositivas nem explicações. O aluno é estimulado, durante todo o curso, a desenvolver sua própria capacidade de raciocínio diante dos diversos desafios que o material didático oferece”, explica o autor da lei.

Gedeão afirma ainda que esta nova prática de ensino pretende fazer o aluno perceber a capacidade de aprender por si só, transformando-o em autodidata, tornando o professor um orientador e deixando o método autoritário de lado. “O aluno, por si só, seja lendo, pensando ou resolvendo seu material com suas próprias forças vai avançando por meio do estudo autodidata”.

Em meio à superficialidade das informações na internet, o vereador Gedeão disse que a ideia é fomentar uma sociedade de leitura entre os jovens e torná-los autônomos na busca por conhecimento.  “Precisamos estimular os professores-agilizadores que já existem na rede de ensino, mas só precisam ser reconhecidos. Eles ajudam a trabalhar as potencialidades dos alunos, sem perder o respeito, pelo contrário, acumulam admiração”.

Diretrizes

O Estudo Dirigido é uma técnica fundamentada no princípio didático de que o professor não ensina e sim é o agilizador da aprendizagem, ajudando o aluno a aprender.

Entre outras características, o estudo direcionado incentiva a atividade intelectual do aluno, intensifica a descoberta de seus próprios recursos mentais, facilitando nele o desenvolvimento das habilidades e operações de pensamento significativas, como identificar, selecionar, comparar, experimentar, analisar, concluir, solucionar problemas, aplicando o que aprendeu.

De uma forma especial é uma técnica que põe em evidência o modo como o aluno aprende. “A capacidade de chegar sozinho às respostas mudará a forma deste aluno de se ver, fazendo com que ele se desafie cada vez mais e busque sempre seus sonhos e metas”, destaca Gedeão.

A prática é marcada por diversos aspectos como a superação das desigualdades educacionais; melhoria da qualidade social da educação; promoção do princípio da gestão democrática da educação pública; promoção humanística, científica, cultural e tecnológica do Município e valorização dos profissionais da educação.

“Quanto à contratação de profissionais especializados para ministrar as aulas, sugerimos que os próprios professores passem por um curso de aperfeiçoamento nessa nova técnica, que servirá de grande enriquecimento curricular e melhorará a aprendizagem de seus alunos”, concluiu o parlamentar.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta