Requerimento que solicita a presença do TCE para esclarecer parecer favorável das contas de Amazonino Mendes é negado pela Câmara.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

20150804115048foto__atual__tiago_correa

 A Câmara Municipal de Manaus derrubou nesta segunda-feira (3), o requerimento de autoria do vereador Waldemir José (PT) que solicitava a presença do Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Júlio Pinheiro, para expor as razões que o levam a promover parecer favorável nas contas do ex-prefeito Amazonino Mendes.

De acordo com Waldemir José, a atual gestão do prefeito Artur Netos diz que o os ex-prefeitos Amazonino Mendes e Serafim Correa deixaram uma dívida de R$346 milhões nos cofres da Prefeitura. Porém, o TCE, por meio do Conselheiro Júlio Pinheiro, negou mais tarde esse déficit.
Em virtude dessa divergência entre os relatórios apresentados, Waldemir solicitou a presença de Júlio Pinheiro tão somente para que pudesse contribuir com esclarecimento dessa confusão, mas a Câmara não achou importante esclarecer essa situação.
O parlamentar não entende o “porque da base governista ter impedido que seu requerimento fosse aprovado, uma vez que o TCE é um órgão auxiliar do parlamento municipal e estadual, portanto tem o dever de contribuir para o esclarecimento de qualquer divergência, sobretudo no que diz respeito a dinheiro público”.
Já que essa medida não foi aprovada pela Casa Legislativa, Waldemir informou que continuará insistindo para fazer com que a Mesa Diretora traga à CMM, os ex -secretários e o atual secretário de Finanças da Prefeitura para falarem sobre as contas.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta